Sobre isto de perder alguém

sobre isto de perder alguem

Não há nada que nos prepare para perda de alguém. Esta dor que se sente é provavelmente dos momentos mais difíceis de conseguir explicar por palavras.

Há quem reze, há quem chore e há quem guarde tudo para si, não há certos nem errados nesta coisa de lidar com a perda física de outra pessoa e na verdade tudo é válido mas nada, absolutamente nada nos prepara para aquele momento em que te apercebes que nunca mais irás ouvir o som da voz, ou sentir o toque. E caramba se encaixar que nunca mais irás tocar em que amas não é das coisas mais duras de aceitar.

Vais ouvir que o que importa é o que está no coração e as memórias do que viveram juntos.

Vais ouvir que o essencial é invisível aos olhos e tudo isso é válido mas a verdade é que não há nada que nos prepare para a perda de alguém.

Ninguém fala da morte. A morte é tida como um assunto tabu, aquele que ninguém quer tocar porque inevitavelmente traz dor e sofrimento, mas a morte como um dos momentos mais violentos que a vida nos pode dar é sem dúvida aquele que temos também como mais certo e que nos chega sem filtros que podes colocar para que tudo fique melhor. Não há uma edição, um emoji, uma aplicação onde possas apagar o que te magoa e deixar só o que é bom e está tudo certo porque a morte precisa de todo este pacote para ser sentida exactamente como ela é. A dureza da perda de alguém é provavelmente das batalhas mais ingratas que quem cá fica tem de travar. Porque és tu, a lidar com a tua dor, uma dor que não escolheste ter mas que te é imposta quando a lei da vida decide funcionar.

É preciso falar abertamente sobre a morte porque morrer não é uma punição como se uns fossem maus e outros bons. Morrer é provavelmente um dos poucos momentos na vida que nos iguala enquanto seres humanos, em que ricos e pobres, magros ou gordos ali naquele momento não são mais do que um corpo e todos sem excepção morrem.

É preciso falar mais da morte, não porque isto nos prepare para esse momento

Não porque ajude a apaziguar a dor mas porque ela faz tão parte de nós como qualquer momento de vida que temos. Respirar é das coisas mais belas que existe e é ao mesmo tempo a última coisa que farás na tua vida. Não há nada que nos prepare para a morte não porque ela seja terrível mas porque não estamos habituados a perder por perder. Pelo menos, não nesta vida que vivemos onde tudo é facilmente substituível com um clique. É preciso falar mais sobre a morte não, porque queiramos morrer mas porque ela faz parte de nós desde o momento em que damos o primeiro sopro de vida. É preciso falar mais sobre a morte para que nunca nos esqueçamos que é nosso dever viver esta vida da forma mais apaixonada, integra e dedicada que conseguimos. É preciso falar mais sobre a morte para que nunca nos esqueçamos de oferecer flores em vida e não quando quem amas já não as poder ver.

É preciso falar mais sobre a morte, para que se diga mais vezes amo-te, para que se peçam mais vezes desculpas para que nunca se deixe nada por dizer mesmo que isso signifique que às vezes terás momentos menos felizes. É preciso falar mais sobre a morte, para que nos sentemos mais vezes à mesa sem horas para terminar refeições, sem pressas para fazer a próxima tarefa sem medos do que pode ou não engordar. É preciso falar mais sobre a morte, para que deixemos de comparar as nossas vidas com as dos outros e passemos a viver por inteiro a nossa. É preciso falar mais sobre a morte para que o teu coração saiba que fizeste tudo o que podias, disseste tudo o que querias, e acima de tudo celebraste o máximo possível a vida. A tua e a de quem perdes. É preciso falar mais sobre a morte, para que se viva mais a vida.

 

Sugestão
Tem de haver espaço para não estar feliz

RELATED POSTS

4 Comments

  1. Responder

    Claudia Oliveira

    Março 11, 2019

    Ai caramba! Já há algum tempo que não passava por aqui mas depois do post do IG tinha que cá vir. Infelizmente esse é um assunto que me diz muito e eu falo sim, da morte. Falo e principalmente escrevo! Porque me ajuda, a superar e a (tentar) compreender. Escrever sobre a morte é o meu luto, é a maneira que encontrei para manter viva a memória da pessoa mais importante da minha vida, algo que me ajuda a lidar com a dor, com o vazio e com a maldita saudade. E sim, as pessoas tendem a não pensar nisso, a não falar sobre isso, porque dói, porque destrói, porque corrói, mas a verdade é que é preciso. É preciso pela razão bonita com que acabas o teu texto, para se viver mais a vida. Um grande grande beijinho e obrigada por este texto ❤

  2. Responder

    Tatiana Albino

    Março 11, 2019

    Este post fez-me lembrar os dias em que escrevi este:
    https://tatsvenska.wordpress.com/2017/06/02/este-nao-e-um-post-como-os-outros/

    <3

    "É preciso falar mais sobre a morte, para que se viva mais a vida." mais uma frase para bordar 😉

  3. Responder

    Joana

    Março 11, 2019

    Vânia, que palavras maravilhosas!

    Sou Enfermeira numa Unidade de Cuidados Intensivos e é sem dúvida o facto de ter que lidar com a morte, atrevo-me a dizer, quase todos os dias, uma das coisas que mais me faz pensar na vida e em como ela é efémera e que mais me fez crescer enquanto pessoa.

    Parabéns pela ousadia!

    Beijinhos,

  4. Responder

    Catarina Alves de Sousa (Joan of July)

    Março 12, 2019

    Que texto lindo, Vânia, mesmo sendo sobre um tema tão triste. Tens toda a razão, é preciso falar mais sobre a morte e, acima de tudo, normalizar e dar espaço ao sofrimento e ao luto.
    Adoro que toques em temas controversos e/ou pouco explorados e é por isso que o Lolly Taste continua a ser um dos melhores blogs da blogosfera portuguesa. 🙂

LEAVE A COMMENT

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.