Sheworks: Sobre esta coisa incrível de motivar

participar no sheworks

Uma das coisas incríveis que aconteceram em Janeiro, foi o #Sheworks, o projecto da minha sister Catarina Alves de Sousa que mensalmente junta mulheres inspiradoras para falar de vida profissional e assim para lançamento da coisa, a Catarina achou que euzinha era a pessoa certa, portanto dia 23 de Janeiro lá fui eu para a Rede Apple para uma conversa sobre trabalhar por conta de outrem e conciliar hobbies criativos.

Sugestão
Dia 23 de Janeiro convido-te para o #SheWorks

Ora, quando a Catarina me convidou eu dei o sim automático

Mas tal como aconteceu com o Bloggers Camp o ano passado, a TVI ou a Bless Conference, logo a seguir a dizer que sim eu fico ali a perguntar-me “mas porque raio é que  disseste sim se tens pânico de falar em público”. E sim, eu sei que quem já foi assistir a palestras minhas  – uau sou essa pessoa que diz que dá palestras  – diz-me sempre que eu tenho muito à vontade e fui feita para comunicar e eu entendo isto porque disfarço muito bem, mas a verdade é que horas antes de aparecer em frente às pessoas eu passo efectivamente mal. E no #sheworks a minha ansiedade ainda aumentou mais porque o evento esgotou numa semana e eu confesso que fiquei meio sem saber o que dizer. Porque a verdade é que eu ainda não acredito que alguém tire do seu tempo para me vir ouvir.

Sugestão
Porque ter ido à televisão foi importante para mim?

Portanto a Catarina convidou-me para falar de:

“Trabalho por conta de outrem: Como conciliar hobbies criativos e o mito do empreendedorismo como única via de realização pessoal” e quando o fez ela sabia que eu tinha uma opinião muito bem formada sobre isto, pois era algo que já conversámos muitas vezes e eu acredito profundamente que este tema em específico precisa mesmo de ser debatido, porque hoje em dia somos bombardeados com histórias inspiradoras de pessoas que largaram tudo para criar o seu trabalho de sonho e é tudo incrível, e todas estas histórias de que só o empreendedorismo é que nos faz felizes, transmite a quem não quer ou não se pode despedir uma sensação de impotência misturada com fraqueza por não arriscarem atirar com o trabalho ao ar.

E depois de me apresentar e explicar tudo o que faço na minha vida

À parte de ter um trabalho de 8h por dia e um chefe – uuuuu essa coisa sinistra que todos temem – perguntei à plateia se todos tinham a capacidade para serem os seus próprios chefes, para gerirem o seu próprio tempo de forma a trabalharem, gerarem rendimento e ainda conseguirem ter a vida que desejam e a verdade é que muitas pessoas ficaram sem saber o que responder. Ora para mim quando se pintam estes cenários lindos de trabalho por conta própria há que fazer exactamente esta pergunta, porque nem todas as pessoas estão preparadas para isto, para a sua própria gestão de tempo, de finanças e de trabalho e não há absolutamente nada de errado com isto, não são mais fracas porque assumem que não se sentem capazes de gerir o seu próprio negócio.

Tal como não há nada de errado em se admitir que não estamos preparados para abdicar de pequenos luxos que temos, não há nada de errado em se assumir que não queremos passar pela incerteza de ter dinheiro ou não e acima de tudo não há nada de errado em admitir que ter a segurança de um salário ao fim do mês, nos permite investir em coisas que nos apaixonam. Porque aquilo que eu mais sinto falta é de ouvir mais soluções do que a típica “segue o teu coração, dá um salto de fé e confia”, porque isto é muito bonito mas desculpem-me no mundo real não funciona a menos que tenhas uma grande poupança ou um bom suporte familiar.

E é isto que eu gosto sempre de alertar

Porque muitas das pessoas que partilham as suas histórias lindas de sucesso profissional não contam que por trás existe uma boa base financeira, ou porque vivem na casa dos pais, ou porque o marido/namorado até ganha o suficiente para os dois, ou a própria família ajuda e acreditem que há muitos casos por aí assim e isto causa falsas ideias às pessoas e pode ser perigoso.

SHE WORKS EMPREENDEDORISMO

Eu não tenho nada contra as pessoas quererem mudar de vida

Todos nós crescemos e os nossos interesses mudam logo se aquilo que fazes hoje já não te preenche, muda, mas fá-lo com consciência e se não tens capacidade para atirar com tudo ao ar porque existe uma casa e contas para pagar, porque não aproveitares o teu trabalho actual para preparar a vida dos teus sonhos? Porque não usar a segurança do teu trabalho e do teu salário, para investires em formações, em cursos e outras coisas que te possam ajudar a chegar a onde queres sem teres de fazer um corte radical na tua vida? Consegues imaginar o stress que é não saberes se vais ter dinheiro para a renda? Como é que te podes dedicar a criar a vida dos teus sonhos desta forma?

E se por outro lado não te queres despedir, mas gostas de muitas outras coisas bem vinda ao meu mundo. Porque eu Vânia não sou só a Vânia Designer, sou muitas outras coisas que me apaixonam e é exactamente isto que eu faço, trago hobbies criativos para a minha vida, faço formações em áreas que adoro e diferentes do meu trabalho regular para abrir o meu leque de hipóteses e acima de tudo faço uma gestão do meu tempo para conseguir conciliar todas estas coisas que em conjunto me fazem realmente feliz.

Eu não quero que pensem que odeio empreendedores, porque é de todo mentira

Eu adoro ver projectos crescer e adoro ver pessoas com iniciativa, só acho é que não podemos minar a cabeça das pessoas com falsos sonhos, porque é importante ter consciência das dificuldades, é importante perguntarmo-nos se somos capazes de sermos os nossos próprios chefes e é importante perguntarmo-nos se somos assim tão infelizes no trabalho ou estamos a deixar-nos levar pelas inspirações da internet que só contam a parte bonita do trabalho por conta própria.

E foi tudo isto e muito mais que procurei trazer a quem tirou do seu tempo para me vir ouvir no dia 23, e só posso agradecer muito pela plateia bonita e interventiva com quem tive o prazer de passar aquelas 2 horas que voaram por completo. E no fim, saber que graças à minha palestra inspirei pessoas a voltarem a correr ou a deixarem de sentir tanta pressão para encontrarem o sentido da vida deixou-me mesmo com a sensação de missão cumprida e com um profundo agradecimento por ter inaugurado este projecto da Catarina.

Se ficaram curiosos com o #sheworks já se podem inscrever na segunda edição que vai acontecer dia 20 de Fevereiro novamente da Red Apple, com o tema “Tornar o trabalho remoto uma realidade de vida” e que vai contar com a Krystel Leal a fundadora do Nomadismo Digital. O evento é gratuito e as vagas são limitadas por isso, garante o teu lugar enviando um e-mail para hello@joanofjuly.com.

 

fotografias retiradas do Instagram @sheworks.pt

RELATED POSTS

2 Comments

  1. Responder

    Joana Sousa

    Fevereiro 12, 2019

    Quando vi o tema deste #Sheworks não pude de deixar de aplaudir – até eu já falei com a Catarina Sobre isto. Partilho a 100% da tua opinião. Eu não tenho capacidade mental para viver na insegurança de não ter um salário fixo. E até sei que os meus pais me sustentariam se as minhas utopias dessem para o torto – mas não quero! Eu não sou obrigada a mudar de emprego só porque já aqui estou há quatro anos ou porque faço trabalho “de escritório”. Eu não sou obrigada a ter como objectivo ter a minha própria empresa. Gostava? Sim, mas numa área que não é de todo a minha área de formação. Como costumo dizer, eu trabalho para viver, não vivo para trabalhar – e por isso é que faço questão de sair a horas e ter uma vida cheia fora do trabalho. Felizmente sinto-me realizada com muito mais do que a minha vida profissional (embora esta não seja má, simplesmente não é super exciting e aventureira!) e não vejo mal nenhum nisso! Deixo a aventura para as horas livres, e essas estão a abarrotar dela 🙂

    Jiji

    • Responder

      vânia duarte

      Fevereiro 12, 2019

      “embora esta não seja má, simplesmente não é super exciting e aventureira!” disseste tudo querida Joana. Aquilo que eu sinto é que há um bocadinho a ideia que ao seres empreendedor vais passar a vida em viagens e em mil momentos super divertidos e diferentes todos os dias quando a verdade é que as coisas não são bem assim como se pintam. Eu não considero que viva menos ou que faças menos coisas por ter um horário fixo do que alguém que não o tem, mas lá está eu acabo por não resumir a minha vida ao meu trabalho, porque são 8h e o dia tem 24. Gestão de tempo é o que falta a muitas pessoas.

LEAVE A COMMENT

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.