Vamos falar de humildade?

 

Durante grande parte da minha vida eu tive um padrão que foi balizar muito por baixo as minhas conquistas, as minhas vitórias e as minhas alegrias. A verdade é que eu sempre me vi como alguém demasiado normal e muito pouco interessante aos olhos dos outros e por isso nunca achei que iria ser capaz de criar coisas incríveis ou de me tornar uma referência ou inspiração ou lá o que queiram chamar para quem me segue.

Ora isto acaba por ter tudo muito a ver com a péssima relação que eu sempre tive comigo própria. Se eu não gostava de mim, se eu me via sempre muito insuficiente, para mim era impensável achar que poderia fazer nascer e crescer algo e ser reconhecida por isso. E foi exactamente por causa deste padrão que eu nunca gostei de me “gabar” dos meus feitos, fosse quando perdi peso, fosse quando superava um desafio num treino ou simplesmente quando fazia um bom trabalho no meu emprego. Ou seja eu vivi com a ideia que não era suficientemente boa em nada durante muito tempo.

Sugestão
Acredita quando digo que não fiz nada que tu não consigas

Mas eu mudei.

Apesar de ainda ter os meus momentos de desconfiança pessoal eu estou diferente neste assunto, e celebro muito mais vezes as minhas vitórias e isto vem através de uma coisa que se fala muito hoje em dia e que se chama amor próprio. Ora apesar do amor próprio estar muito associado a gostarmos da nossa imagem e aceitarmos o nosso corpo como é, para mim isto é o primeiro nível desta questão, porque o verdadeiro amor próprio está em sermos as primeiras a aplaudir os nossos feitos. Sem medos de parecer convencida ou pouco humilde.

Ora este texto vem na sequência de um comentário deixado neste post da Joana Clara, onde ela falava do Blogging for a Cause, do que foi criar este evento, do que conseguimos e da importância de mostrar que o digital tem pernas para ser muito mais do que um catálogo de produtos repetidos vezes sem conta. E num post bem fundamentado pela Joaninha, uma MULHER comentou que concordava com tudo mas precisávamos de ter cuidado porque a coisa soava a “humble brag” – do estilo estamos a ser pouco humildes e muito convencidas – e que parecia que estava a servir de arma de arremesso…

E com isto o meu cérebro meio que parou…

Portanto, para quem andou assim meio distraído vamos fazer um exercício do que é o Blogging for a Cause: um evento 100% solidário onde todo o dinheiro angariado é doado a 5 causas sociais. Ora isto é bonito de ler, soa bem, fica bonito nos copys de Facebook e Instagram, mas agora descascando mais a fundo, o Blogging for a Cause traduz-se em:

. Um evento que começou a ser preparado no final de Junho, por 5 pessoas que trabalham das 9 às 18h e que ainda têm os seus próprios projetos pessoais;
. Um evento que sendo 100% solidário necessita de uma série de parcerias nomeadamente de um espaço completamente cedido e para isto são feitas muitos contactos, são feitas muitas reuniões – muitas delas fora do nosso horário de trabalho, já de noite, quando podíamos estar em casa a descansar, mas acabamos no meio do trânsito caótico para tentar conseguir um espaço e onde são ouvidos muitos não, até que lá aparece um sim;
. Um evento que após ter espaço precisa de ter uma série de oradores, e estes contactos são feitos totalmente por nós;
. Um evento que não existia sem parceiros nas mais diferentes áreas, nomeadamente no catering, e este ano esta foi uma questão muito complicada de conseguir, e que nos deixou várias vezes desmotivadas. Foram muitos mails trocados, muitas marcas contactadas, muitos nãos ouvidos, e um grande poder de encaixe para conseguir diferentes marcas que oferecessem produtos suficientes para criar todo um lanche solidário.
. Um evento que após já ter um espaço fechado e muitos bilhetes vendidos, se viu com um grave problema – no qual não teve qualquer culpa –  e assim, a 4 semanas de acontecer, teve de procurar um lugar novo para a sua realização e exactamente nos mesmo moldes – cedência de espaço. Conseguem imaginar o stress que isto deu?
. E por fim, um evento no qual nós trabalhámos 6 meses, onde não retiramos qualquer cêntimo e onde foram angariados 2425.65€ para doar a 5 projectos incríveis. Posto isto a pergunta que eu coloco é:

 

Sugestão
Blogging for a Cause 2018: É isto o Natal

 

Como é que alguém nos acusa de falta de humildade depois de todo este trabalho?

Conseguem perceber o grave disto? Como é que alguém acha, que ter orgulho de um projecto maravilhoso, que nos saiu do corpo durante 6 meses é errado, pouco humilde e que serve de arma de arremesso? Como é que alguém consegue descer tão baixo e acusar-nos de nos estarmos a vangloriar de um projecto que merece ser partilhado como prova daquilo que o digital pode fazer?

E esta é uma ideia muito portuguesa sabem?

Esta coisa de que temos de esperar sempre pela palmadinha nas costas dos outros para podermos dizer “sim fui eu que fiz” e mesmo assim muitos dizem “mas podia ter ficado melhor”. Porque raio temos que esperar que nos digam que fizemos um bom trabalho, quando nós sabemos que efectivamente o Blogging for a Cause fez a diferença nas pessoas que lá estiveram e nas causas que ajudámos? Porque raio o orgulho pessoal é uma coisa errada? Porque raio as pessoas acham que se forem os outros a dizer que está bem feito é ok, mas se formos nós já somos pouco humildes e snobs. O que é ser humilde na verdade? É ficar ali quietinho à espera da aprovação dos outros? A sério, continuamos a viver à espera que os outros nos aprovem?

Ora isto numa altura em que se fala tanto de amo próprio, é coisa para rir

Porque por um lado dizem-te para gostares de ti, mas por outro dizem-te para teres cuidado porque se não, pareces demasiado convencida porque gostas muito de ti. Conseguem perceber o idiota disto? E principalmente quando uma coisa destas é dita por outra mulher? Isto numa altura em que se fala tanto de apoiar outras mulheres, girl power e o catano?

A sério, não me lixem porque eu largo o pouco lado zen que tenho e mando todas estas teorias do “support your girl squad” ou outras balelas pseudo inspiradoras que ficam bem em textos no instagram para uma fogueira.

Caramba gente, ninguém aqui está a dizer que precisam de criar eventos como o Blogging for a Cause para fazerem a diferença, e muito menos se está a dizer que a publicidade nas redes é má. De longe acho isso. Não há nada de errado em ganhar dinheiro com o digital, não há nada de errado em partilhar marcas que se gostam desde que isso seja feito com consistência pessoal. O que nós mostrámos com o Blogging for a Cause, é que numa altura em que as pessoas estão meio descrentes nos “influenciadores”, conseguimos usar a nossa voz digital para ajudar causas de solidariedade social.

Mas isto fomos nós e isto não nos faz nem melhores nem piores do que quem nos lê. Faz-nos ser simplesmente nós, que seguimos aquilo em que acreditamos, que colocámos verdade no nosso trabalho e decidimos que era isto que queríamos fazer. Ora usar amor e verdade, é exactamente aqui que eu bato sempre para a criação de projectos pessoais.

Portanto o facto de nós, depois de meses de trabalho PRÓ-BONO intenso

Decidirmos partilhar o que conseguimos com o mundo não nos torna melhores do que ninguém. Torna-nos sim conscientes que o trabalho que desenvolvemos foi realmente bom. Torna-nos sim seguras de nós próprias ao ponto de não precisarmos de esperar por palmadinhas nas costas, e torna-nos sim mulheres adultas que não teem medo de assumir que criaram algo único no nosso país, de uma forma sustentada e que com isso conseguiram pelo segundo ano consecutivo ajudar 5 causas.

Ninguém precisa de fazer o mesmo, a nossa partilha nunca serviu, nem servirá, como arma de arremesso para virem fazer melhor ou para mostrarmos o quanto somos boas. Aquilo que nós queremos é inspirar mais pessoas, mostrar que o digital é um espaço onde se podem fazer parcerias boas, onde se podem criar projecto espectaculares que podem ser simplesmente coisas como o páginas salteadas onde 4 blogggers que gostam de ler se juntam mensalmente para partilhar leituras e receitas.

 

Sugestão
Páginas Salteadas: Uma Genial Bolonhesa de Lentilhas Vegan

 

É isto que nós queremos mostrar com o Blogging for a Cause, que as parcerias são boas e que todos saímos a ganhar quando damos as mãos e trabalhamos por um bem comum. É mesmo só isto ok? Por isso menos apontar de dedo, por favor.

RELATED POSTS

2 Comments

  1. Responder

    Claudia Neves Oliveira

    Dezembro 11, 2018

    Caramba Vânia! Tu escreves mesmo bem! É que já nem ligo à quantidade de caracteres, dá gosto ler-te! Sem rodeios, como gosto!

    Este é um assunto que me diz muito, a humildade. Ao contrário de ti, eu SEMPRE fui acusada de ser pouco humilde, ser convencida e de ser pouco modesta.

    Não porque achava que era a “última bolacha do pacote”, longe disso, (sempre me achei uma pessoa super hiper mega normal) mas porque sempre soube reconhecer os meus feitos.

    Nunca esperei (e continuo a não esperar) que alguém me diga que fiz um bom trabalho, se o fiz digo e\ou reconheço e pronto!

    Sabes Vânia às vezes soa-me tudo a falso! Pela frente são todos amigos, é querida para cá, querida para lá, mas pelas costas ou escondidos atrás de um ecrã destila tudo veneno, e sim, principalmente as mulheres, bolas que somos mesmo tramadas!

    O que vocês fizeram foi incrível e sim devem ter muito orgulho nisso!

    Um grande beijinho

    Claudia

    P.S. Obrigada por refereires o texto da Joaninha, gosto tanto de a ler e nem tinha reparado que tinha publicado! Por mais incrível que pareça eu e o mundo digital não somos grandes amigos.

    P.S.S Caso hajam erros, pontuação a mais etc quero que saibas que a culpa é tua porque estou a escrever do telemóvel ahahahah (não pude deixar de comentar este post ;))

    • Responder

      vânia duarte

      Dezembro 11, 2018

      Cláudiaaaaaaaaa opá a sério fico tão contente por saber que os meus textos gigantes são sentidos desta forma. Que elogio bom este. E é mesmo isto, é o saber reconhecer o nosso trabalho sem medos e sem estar à espera da aprovação dos outros. É simplesmente só isto. O texto da Joana está de facto muito bom, e traz muita verdade. E não há erros nenhuns 🙂

LEAVE A COMMENT

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.