E quando tudo se resume a preguiça?

quando tudo se resume a preguiça lolly taste

Há uma coisa que às vezes me incomoda um bocadinho nas redes sociais que é esta nova onda de ter de haver uma razão para tudo. Uma razão que normalmente vem com uma explicação mística qualquer agarrada.

Há poucos anos atrás eu era viciada em exercício físico. Mas não no bom sentido da palavra. Começou por ser um vício bom sim, um vício saudável que me fazia em primeiro lugar bem ao corpo e devagarinho começou a tornar-se parte fulcral da minha sanidade mental. E durante bastante tempo fazer exercício para mim era efectivamente algo bom. Até que me tornei dependente de uma forma pouco saudável e o exercício passou de algo prazeroso a algo que eu fazia para me punir por excessos cometidos, ou para continuar a batalhar na loucura desmedida que eu tinha por uma imagem corporal distorcida.

Este vício tomou conta da minha vida durante 2 anos e fazia com que para mim fosse impensável faltar.

Lembro-me de sentir um aperto no peito nos dias de descanso. Não entendia porque tinha de o fazer e para mim os dias de descanso significavam acumular gordura no corpo. Não havia um meio termo para mim e não havia espaço para falhas nos meus treinos. Esta minha motivação vinha também das muitas contas de Instagram que eu seguia. Das motivações matinais, que logo cedinho mostravam que estavam ali a dar no duro. No pain no gain certo? Ou das que treinavam duas vezes por dia mostrando que quando se quer tudo se consegue não é?

Acho que todos já sabemos a onde esta história de obsessão alimentar e de exercício me levou certo? Fiquei muito doente em 2016 – para os mais desatentos é ler o post abaixo – e decidi que precisava de ajuda para me recuperar fisicamente e emocionalmente.

Sugestão
Eu também desmotivo e admitir isto é amor próprio

Ora nestes 2 anos muita coisa mudou e uma das maiores foi a minha relação com o exercício físico. Eu continuo a adorar treinar, e é óbvio que sinto toda uma energia incrível quando ando ali regrada, mas nos últimos tempos tem-me acontecido algo que se chama…. preguiça.

Sim isso mesmo, essa coisa simples chamada preguiça.

E não, não traz nenhum motivo obscuro por trás – eu sei que os coaches de sofá adoram arranjar um bom motivo para tudo – mas lamentando desapontar a minha preguiça, resume-se a um misto de estar frio, estar escuro e estar a chover, ou seja no fundo a desculpas. Simples assim. E é engraçado que ao deambular por essas redes sociais fora, parece que esta coisa tão simples chamada preguiça não afecta absolutamente mais ninguém. E isto fez-me pensar que no passado eu acharia que estaria a ser fraca porque todas as pessoas estão no ginásio às 7 da manhã a mostrar como são incríveis e cheias de força de vontade, mas hoje só me faz perceber o quanto as redes são um produto fabricado.

Em Setembro magoei-me num treino, mesmo antes de ir de férias. Foi uma coisa relativamente séria e que me fez parar até há pouco tempo, altura em que tive autorização para regressar. E isto deu-me ali aquela alegria do voltar ao activo, até que chegou a segunda-feira e eu desliguei o telefone prometendo que no dia a seguir voltaria. E na terça voltei a fazer o mesmo, e na quarta, e na quinta e nas duas semanas seguintes até chegarmos ao dia de hoje. E qual a razão? Única e exclusivamente preguiça. E eu sei que seria muito mais interessante dizer-vos que estou a passar por uma qualquer fase obscura, que há toda uma razão qualquer mística que precisa de trabalho interior e de mais umas quantas rezas e uns pós mágicos, mas não, a única razão chama-se somente preguiça e sim também me afecta a mim.

Sugestão
Vídeo: Vamos falar sobre amor próprio?

E eu gosto de escrever estas coisas, porque quem me segue há mais tempo sabe o quanto o exercício é importante para mim.

Sabe o quanto eu gosto – apesar de custar às vezes – treinar de manhã e sabe o quanto eu falo da importância de encontrarmos uma modalidade que nos apaixone, mas isto não significa que apesar de termos estas coisas todas a preguiça não chegue. Isto acima de tudo não significa, que apesar de eu proclamar estes “mandamentos da saúde” seja mais do que vocês e a preguiça não me apanhe às vezes. Sem que haja um motivo maior, simplesmente preguiça entendem?

Numa época em que aparecem todos os dias novos gurus da internet, novas pessoas com histórias incríveis de superação, de deixar qualquer comum dos mortais a achar que é extremamente inútil porque ainda não conseguiu alcançar aquele estado de felicidade e equilíbrio com tudo, cada vez mais, sinto necessidade de vos mostrar que somos todos humanos e que todos sem excepção temos dias bons, dias maus e sofremos de coisas tão banais como preguiça. É óbvio que eu podia dar-lhe um nome fancy de “crise de identidade” ou “bloqueio de caminho” ou uma outra porcaria qualquer, mas aquilo que vos quero mostrar é que apesar de eu querer com este blogue, ajudar o maior número de pessoas, a encontrar esperança numa vida com menos bloqueios ao nível da imagem corporal, não o quero fazer a custo de uma imagem imaculada e acima de tudo fabricada.

Não, essa não sou eu. Eu sou só uma miúda normal, como tu que me lês.

Uma miúda normal que viveu 15 anos obcecada com a imagem corporal e que sim conseguiu dar a volta por cima disto, apesar de ainda ter dias em que as coisas não correm tão bem. E acima de tudo uma miúda normal que apesar de adorar treinar, também sofre de coisas tão simples como preguiça. E porque é que te conto isto? Porque parece que nos dias de hoje tem de haver sempre uma justificação incrível para qualquer acontecimento da nossa vida, e acima de tudo deixou de haver espaço para as coisas banais.

Sugestão
A razão porque deixei o ginásio e não quero voltar

E isto tudo para te dizer que se estás como eu, preguiçosa para voltar a treinar – ou para começar – porque está frio, chove e a cama é mais fixe, não te sintas sozinha no mundo, somos muitas acredita, a diferença é que a maioria não o diz. O segredo está em decidir quando chega de ter preguiça e eu decidi hoje, que estava na hora de dar um pontapé na bunda à preguiça e voltar devagarinho e sem expectativas à minha antiga rotina. E tu podes fazer o mesmo, sem neuras.

RELATED POSTS

4 Comments

  1. Responder

    Daniela Soares

    Novembro 19, 2018

    Ai, sabe tão bem ler a verdade… Deve haver espaço para tudo! É muito importante ler posts motivadores mas também sabe bem ler relatos verdadeiros e saber que é normal sentir preguiça.xD

    Another Lovely Blog!, https://letrad.blogspot.com/

    • Responder

      vânia duarte

      Novembro 20, 2018

      é mesmo isso que quero querida Daniela, mostrar que é óptimo cuidar de nós, treinar, comer bem, nutrir a alma, mas isso ñ significa que sejamos imunes a coisas banais como preguiça ou falta de vontade 🙂

  2. Responder

    Joana Rito

    Novembro 19, 2018

    Olá Vânia, gosto muito de ti há um tempo, e estou a gostar cada vez mais com estes vínculos que vais criando entre quem escreve e quem lê, fazendo parecer que não há barreira alguma. Um beijinho 🙂

    • Responder

      vânia duarte

      Novembro 20, 2018

      Oh querida Joana, obrigada pelo teu feedback 🙂 E não há mesmo nenhuma barreira, somos todos humanos, com medos e dúvidas e eu só gosto de mostrar que sou uma miúda normal 🙂

LEAVE A COMMENT

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.