Ninguém te diz que a cabeça é a última coisa a mudar

a cabeça é a ultima coisa a mudar

Há alguns anos atrás quando sofria de ataques de pânico recorrentes e por isso andava bastante medicada, estava a ser seguida também a nível psicológico. Para mim o momento de ir à consulta era sempre uma montanha russa, porque eu não sabia se ia sair de lá aliviada ou com a sensação de que era muito fraca. Ora certo dia em que me encontrava especialmente negra de humor a psicóloga colocou-me em frente ao espelho e pediu-me para eu me descrever. E eu com 47 kilos na altura descrevi-me com mais 20. Com aqueles mais 20kg que eu tinha perdido durante toda a luta que travei com a cabeça enfiada na sanita e durante todos os anos seguintes de dietas e produtos para emagrecer.

E ela pedia-me especificamente para descrever o que eu via.

E eu apontava para as pernas e para as ancas e chorava compulsivamente enquanto lhe dizia: “Eu sou uma orca não entende?”. Depois, ela espalhou papel de cenário no chão e pediu para eu me desenhar tal e qual eu me via no espelho. Assim que terminei de desenhar o contorno daquele corpo que eu via, ela pediu-me para me deitar e com a caneta contornou todo o meu corpo e o resultado foi que, o contorno real dela era mais de metade daquilo que eu tinha desenhado.

E aqui, neste exacto momento eu tive o meu primeiro choque com a minha imagem corporal distorcida. Ora eu não fiquei curada naquele dia (nem nos muitos dias e anos que se seguiram), mas aquilo foi o início do despertar da minha consciência para o facto de eu me ver de uma forma que já não existia e isto acontece porque nunca ninguém te prepara para o facto da cabeça ser efectivamente a última coisa que muda, o que acaba por trazer uma série de ações atrás. Eu pesava pouco, mas usava camisolas muito maiores do que o meu número pois não conseguia entender que outros números me serviam. Eu sentava-me na praia ou numa cadeira e colocava automaticamente as mãos à frente da barriga para tentar esconder uma gordura que na minha cabeça estava ali. Eu mudei, o meu corpo mudou, deixei de vomitar, mas a imagem que eu tinha continuava ali.

E isto é tramado sabem, é isto que torna os distúrbios alimentares tão complicados de serem tratados

Porque aquilo que assumes como verdade absoluta durante muito tempo, acaba por se enraizar de tal forma em todo o teu ser e não há nada, absolutamente nada que te possam dizer em contrário que te vá fazer ver as coisas de outra forma. Pelo menos assim de um dia para o outro. E é por isso que apesar de eu acreditar no amor-próprio e na aceitação pessoal, eu sei porque já estive daquele lado negro, que dizer a alguém com uma imagem corporal distorcida para se aceitar como é, é falar uma lingua desconhecida, e que são precisos muitos pequenos passos, muitas grandes quedas e desvios e muitos avanços espaçados para alguém conseguir dizer “Eu aceito-me”.

Pelo menos eu, admito sem pudores que ainda hoje, tenho dias em que preciso de interiorizar à bruta que aquela imagem que um dia existiu, está lá atrás muito no passado. E não há mal isto acontecer, porque ninguém, absolutamente ninguém gosta de si todos os dias, e desde que os dias de paz sejam muito maiores que os dias de luta com a cabeça está tudo certo.

RELATED POSTS

6 Comments

  1. Responder

    Joana

    Agosto 1, 2018

    Olá, queria dizer-te que és a inspiração viva e uma das mais bonitas que já vi. Um beijinho, Joana

    • Responder

      vânia duarte

      Agosto 1, 2018

      oh querida Joana, muito muito obrigada por tanto carinho <3

  2. Responder

    Luisa Carvalho e Gomes

    Agosto 6, 2018

    Nem sei o que dizer deste texto, vieram-me as lágrimas aos olhos, porque conseguiste colocar aqui por escrito tudo aquilo que sinto. Vânia nunca pares de fazer o que fazes.

    • Responder

      vânia duarte

      Agosto 6, 2018

      Querida Luisa nem sei o que dizer, fico mesmo fe coração cheio por saber que as minhas partilhas podem fazer diferença na alma de alguém. um grande beijinho.

  3. Responder

    Celina

    Agosto 17, 2018

    Bom dia Vania,

    obrigada por partilhares estes textos conosco, este “pequeno” gesto faz mostrar a pessoa bonita e forte que está dentro de ti.
    Acredito que não seja facil partilhar “esta vida” com outros, mas ao mesmo tempo, estás a conseguir ajudar.
    PARABENS E FORÇA !

    Beijinhos
    Celina

    • Responder

      vânia duarte

      Agosto 21, 2018

      awwww celina obrigada a sério por tanto amor, fico tãooooooo feliz por saber que as minhas partilhas são sentidas desta forma. um grande beijinho

LEAVE A COMMENT

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.