Eu já fui viciada em nutricionistas

eu fui viciada em nutricionistas

Há uns meses atrás dei por mim a tentar fazer uma lista de todos os nutricionistas a que já tinha ido. Consegui contar 15. Mas na verdade acho que foram mais e percebi que para além do meu vício com a comida eu fui efectivamente viciada em nutricionistas.

Como já contei por aqui, durante anos o meu objectivo era chegar aos 50 quilos. Tinha uma fixação doentia com este número, até que cheguei e continuei a não gostar. Depois de ter percebido que mais importante que um número da balança era a composição corporal tornei-me obcecada pela minha percentagem de massa gorda. No meio destas minhas obsessões eu lidava com a minha frustração de não conseguir alcançar estes números. E por isso comia de forma descontrolada. E sempre que isto acontecia eu decidia que tinha de mudar de vez e marcava uma consulta com um nutricionista.

 Nutricionistas Desportivos, nutricionistas funcionais, dietistas.

Naturopatas, nutricionistas vegan, nutricionistas da moda, e preparadores de competição fitness. Os meus dedos das mãos não chegam para contar o número de profissionais de saúde a quem recorri para tentar equilibrar-me. Para tentar alcançar este meu objectivo de ter um corpo incrível e deixar de ser uma debulhadora ambulante.

Sempre que ia a um nutricionista novo eu dizia: “Este é o último a que vou, agora é de vez”. Entrava na consulta muito esperançosa, contava a minha história e faziam-se as devidas medições. Era-me passado um plano e eu saia do consultório com a certeza que agora era de vez. E os primeiros tempos eram incríveis. Eu andava ali certinha, retomava os treinos, o corpo começava a mudar. Eu ficava ainda mais feliz e durante uns meses andava focada. Os planos alimentares que me passavam efectivamente funcionavam até deixarem de funcionar. Ou seja, até eu escorregar uma ou duas vezes e começar a descarregar as minhas frustrações na comida. E aí, em vez de retomar o plano, sentia que precisava de uma nova mudança e o jogo começava.

Sugestão
5 Grupos de Treino Outdoor para ficares em forma

Olhando para trás eu noto que andei muito tempo da minha vida às voltas sem sair efectivamente do sítio.

Tudo porque eu não entendia que independentemente de ter o melhor plano alimentar do mundo, mais do que tratar do físico eu precisava de tratar a cabeça e da forma como encarava a comida e o treino na minha vida. Porque a verdade é que eu sempre fui de extremos. Comia e treinava muito focada. Ou desatava a comer tudo o que me aparecia à frente e deixava de treinar porque ficava desmotivada com as minhas falhas. E quando isto acontecia, por mais que eu quisesse voltar ao plano antigo já não conseguia e procurava um novo nutricionista na esperança que isto acabasse.

O engraçado é que eu recebo muitas mensagens de pessoas exactamente com o mesmo problema. Que saltam de nutricionista em nutricionista na esperança de encontrarem a resposta final, para um problema que precisa de ser tratado de forma holística. E acima de tudo de dentro para fora. Porque mais do que um plano alimentar, eu precisava de entender que a comida é algo que fará parte da minha vida para sempre. E por isso tenho de ser responsável pelas minhas escolhas, sejam elas boas e más.

Porque no fundo, por melhor que o plano seja.

Foi a minha força de vontade em tentar mais uma vez que fez com que isto resultasse. Foi a minha força de vontade em querer finalmente aprender a lidar com a comida de uma forma racional que fez com que eu encontrasse o meu equilíbrio alimentar. E a força de vontade tem de vir cá de dentro. Tem de vir com dor, com angustia e com muito desejo de mudar. Mesmo que se saiba que se vai cair algumas vezes.

Sugestão
#PerguntaeuRespondo 1

Tem acima de tudo de vir com a certeza que um plano alimentar serve para te guiar. Um nutricionista serve para te ensinar a comer mas no fim, és tu e só tu a responsável pelas tuas escolhas.

RELATED POSTS

LEAVE A COMMENT

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.