Quando a vida te colocar obstáculos encontra o teu “Para quê”

quando te sentires em baixo procura uma razão para as coisas estarem a acontecer de determinada forma na tua vida

Eu não acredito em acasos na vida.

Cada dia tenho mais a certeza que as coisas acontecem por alguma razão. Para muitos pode parecer tonto, mas esta forma tão minha de sentir as coisas assim, ajuda-me a manter o equilíbrio pelo qual tanto ansiei na minha vida. E isto é algo impagável.

Mas voltando aos acasos, como vos disse não acredito neles e recentemente tive mais uma prova disso.

Já vos apresentei por aqui o projecto Páginas Salteadas. Se ainda não viram as duas receitas que já saíram vejam a receita da Joana e da Catarina. Na próxima semana vai sair a minha e na última segunda-feira de Julho sairá a da Andreia.  O livro escolhido para o arranque do projecto foi o incrível Simplifica a tua Vida da maravilhosa Rute Caldeira.

Quando decidimos que ia ser este livro a começar eu já o tinha em casa há algum tempo. Na realidade comprei-o ainda em pré venda e tive direito a que viesse autografado pela Rute. Queria muito ler o livro. Já tinha lido o Liberte-se de Pensamentos Tóxicos e tinha adorado a escrita da Rute.

Na altura em que o livro chegou, eu estava a ler outro e por isso fui adiando. Ou talvez tenha sido o universo a dizer-me que havia de chegar à altura perfeita para o fazer.

O projecto começou e eu aproveitei uma ida ao Zmar no primeiro fim-de-semana de Julho para o ler.

Devorei-o num sábado conseguem acreditar? Enquanto o lia, arrepiei-me muitas vezes e cheguei a chorar em algumas passagens.  A forma como a Rute escreve consegue mesmo transportar-nos para junto dela. É quase como se ela te estivesse a dizer cada palavra bem baixinho ao ouvido, enquanto ficas com as emoções à flor da pele. Eu senti para lá das folhas muitas das palavras e histórias que a Rute partilhou.

E numa das partes a Rute fala-nos de estarmos constantemente a perguntar-nos porque nos acontece tal coisa, porquê a nós, porquê desta forma, quando devíamos tentar olhar para as coisas de outra forma tentando encontrar um significado nelas ou seja – Para quê.

Lembro-me de ter lido e ter sentido que aquilo efectivamente me fazia demasiado sentido, até porque durante muitos anos eu vivi a questionar o porquê das coisas me acontecerem de determinada forma. O porquê de ser gorda, o porquê de não conseguir alcançar o corpo perfeito, o porquê de não me sentir feliz. Foram muitos os porquês aos longo destes 15 anos em que lidei com a minha imagem corporal distorcida por isso decidi apontar a página no meu telemóvel para voltar a ler mais tarde especificamente aquela parte.

Não o fiz…até à sexta-feira passada quando recebi o resultado de uns exames que fiz ao meu joelho.

Quem me segue no Instagram sabe que partilhei por lá que estava com uma lesão no joelho esquerdo. Esta lesão foi feita em Dezembro de 2015 a preparar-me para uma corrida e eu nunca lhe liguei grande coisa.

Fiz alguns tratamentos. Mas assumi que como só tinha dores a correr ou a andar muito e eu odeio correr não me ia preocupar. Obviamente mais cedo ou mais tarde o joelho ia queixar-se e assim foi.

Fiz exames e tenho uma lesão muito chata na rótula e de tratamento longo.

Se não resultar terei de ser operada. Como vocês sabem eu faço Crossfit e estava neste momento a preparar-me para começar a competir no próximo ano. O Crossfit é para mim um desafio e estimula-me muito porque me faz superar muita coisa. Infelizmente esta lesão ditou o meu afastamento em competição no próximo ano.

Ouvi o médico, vi todo o cenário e ao contrário do que estava à espera não me passei. Não chorei. Não entrei em pânico por não poder treinar a 100%. Não pensei em cortar comida para compensar os treinos que não faço. Não pensei em deixar-me ir em compulsões para compensar a minha frustração.

A única coisa que me veio à cabeça foi a página 74 do livro da Rute.

Aquela página que eu tinha guardado para mais tarde e que me esquecera dela até realmente precisar. Oh Universo como tu fazes tanto sentido.

Abri o livro e reflecti muito sobre a afirmação da rute. Decidi então ver as coisas por outro prisma. Tentar encontrar o verdadeiro significado disto e por isso em vez de me focar no porquê de isto me estar a acontecer logo agora que estou tão em paz comigo, foquei-me no para quê.

E logo aqui acabei por ter a minha resposta.

Porque a verdade é que se este resultado me tivesse aparecido há um ano e meio atrás tudo teria sido diferente. Eu não ia conceber a ideia de reduzir treinos ou cargas mesmo sabendo o estado do joelho. Não ia aceitar que não podia competir. Ia chorar mas iria continuar a treinar. Sem dar ouvidos ao meu corpo. Iria também reduzir na comida de certeza. Mas também iria ter compulsões para lidar com a frustração.

Ou seja eu tive que trilhar primeiro todo o meu caminho de aceitação corporal para conseguir lidar com as emoções de ter uma lesão que me impede neste momento de realizar um sonho.  E mais uma vez ao conseguir ver as coisas de uma forma tão clara percebi o verdadeiro para quê de tudo ist.

Ao ter de abrandar nos meus treinos com cargas altas e muito impacto e ao estar mais limitada comecei a dar espaço ao meu corpo para descobrir novas abordagens que até hoje me eram desconhecidas. E foi neste novo jogo encantador de perceber até onde vão as minhas capacidades que consegui fazer pela primeira vez  um headstand.

Eu. Que sempre tive medo de fazer o pino.

Eu que em miúda achava que nunca conseguiria suportar o meu peso de cabeça para baixo, consigo não só fazer um pino lindo, como estar de cabeça apoiada no chão, sentido uma comunhão incrível com o meu corpo. Sentido uma energia absolutamente avassaladora a percorrer cada pedaço do meu corpo. E apaixonei-me por estes novos estímulos.

E é exactamente aqui que está a magia da vida, quando tu lhe dás espaço.

Porque a Vânia do antigamente iria ficar frustrada, iria chorar, iria arranjar maneiras de compensar treinos e certamente iria cortar muito na comida. A Vânia do passado iria questionar-se do porquê disto? Porquê a mim? Porquê agora quando estava numa fase tão boa do Crossfit.

Mas a verdade é que a busca constante do porquê faz com que não olhes à tua volta. Faz com que te feches para aquilo que o universo te está efectivamente a tentar dizer. Faz com que não percebas acima de tudo que tudo tem uma razão para acontecer. Ou seja…o para quê.

Eu abri a mente e o coração por inteiro.

Decidi que não ia lutar contra isto mas sim encontrar formas de continuar a manter-me feliz e saudável. Mesmo que para isso tivesse de me adaptar. E a verdade é que nós quando queremos somos os seres mais moldáveis que existem. E é quando percebes a beleza desta capacidade que temos para nos adaptar, que a vida se abre mesmo à tua frente.

Percebi nos últimos tempos que sou capaz de muito mais coisas do que realmente achava que era. E muitas delas não precisam de uma barra e de pesos. Bastam-me a mim… inteira e entregue à descoberta maravilhosa de novas capacidades.

E sim eu vou sempre amar barras, pesos e a adrenalina de um treino de Crossfit. Mas sem dúvida nenhuma irei amar muito mais, manter saudável, este corpo que tanto me dá.

 

Compra os livros da Rute aqui

RELATED POSTS

6 Comments

  1. Responder

    Kéké

    Julho 20, 2017

    Tu és tão linda, sabes?

    Quero muito ler esse livro. Graças a ti já terminei o “Liberta-te de Pensamentos Tóxicos” e cada dia que passa me identifico mais com cada palavra dessa mulher e com cada palavra tua, meu amor.
    És gigante!

    Beijo no coração
    Kéké

    • Responder

      vânia duarte

      Julho 24, 2017

      oh meu doce, muito obrigada por todo o teu carinho. e tenho a certeza que vais adorar o Simplifica a tua vida. é incrivelmente inspirador.

  2. Responder

    Miguel Oliveira

    Julho 20, 2017

    Bem tu não choras mas fizeste-me chorar de orgulho! Que lição de vida que tu dás! Não há palavras que descrevam a alegria, felicidade e orgulho que tenho em te ter na minha vida!

    Obrigado por seres a fonte de inspiração e força que és!

    Forever

    • Responder

      vânia duarte

      Julho 24, 2017

      obrigada por estares sempre ao meu lado para o bem e para o mal 🙂

  3. Responder

    Inês

    Julho 20, 2017

    Mensagem super inspiradora. Hoje fiz imensas vezes a pergunta porquê, mas está tudo bem, começo a entender o para quê 😊

    • Responder

      vânia duarte

      Julho 24, 2017

      obrigada inês 🙂 o importante é aos poucos ires reprogramando a mente para a pergunta para quê começar a surgir primeiro 🙂 um grande beijinho

LEAVE A COMMENT