Esta coisa tão feminina chamada…Inveja

quando são as mulheres as primeiras a criticar o corpo de outra mulher

Vamos falar de inveja feminina?

Num destes fins-de-semana, em que a Primavera ainda não tinha chegado, mas o sol e o calor já só faziam lembrar boas tardes de gelados, Somersby e dolce fare nienti, resolvi ir aproveitar aquilo que de melhor tenho perto de casa: a praia.

Era sábado e a praia estava cheia.

Famílias inteiras. Grupos de amigos casais enamorados. Malta que se aventurou a ir tomar uma banhoca na água gelada. Ou simplesmente pessoas como eu, que estavam consigo próprias a aproveitar uma boa leitura e o novo magnum double de coco – que by the away é completamente insano no sabor delicioso e no preço alto para um gelado tão pequeno.

Pois bem, levei a toalha, o livro e o gelado. Arranjei espaço na areia. Tirei os ténis e mergulhei na minha leitura, até que passados uns 15 minutos chega um grupo com várias mulheres, respectivos filhos e um ou outro marido. As crianças lá andavam a correr de um lado para o outro. Elas gritavam com os pulmões bem abertos para os miúdos não se enfiarem na água e lá iam conversando sobre qualquer coisa que eu não sei porque não estava muito atenta.

De repente aparece uma conhecida com o seu marido e o filho pequeno pela mão.

Beijoca para cá. Beijoca para lá, a amiga está grávida quase a ter o bebé. Mas mantém toda uma forma física de fazer inveja a qualquer pessoa. Têm barriga sim senhora, até bastante redondinha, mas tudo o resto está impecável, nada de excesso de peso, um ar bem disposto e saudável, enfim um mimo olhar para esta grávida.

A querida afasta-se e começa a rodar a baiana naquele areal. As fofas das senhoras ficam com a jugular aos saltos e começam a debitar as seguintes frases sobre a grávida:

– “Olha lá, de trás nem parece que está grávida, aquilo nem é saudável”

– “Sabes aquilo é só músculo, ela nem anca tem, credo nem sequer é bonito”

– “É tudo genética, porque olha lá ela é alta, eu sou mais baixa pareço logo mais gorda”.

E assim, num espaço de 5 minutos a temática passou para criticar o corpo de uma mulher grávida que estava efectivamente muito elegante e que é bem provável que até treine – o que eu aplaudo de pé – mas acima de tudo, uma série de mulheres que provavelmente levantam a mão quando se fala de Feminismo porque está na moda falar-se disto, são as mesmas que criticam sem filtros o corpo bonito de uma grávida.

O mais engraçado é que nós mulheres somos muito activistas.

Quando por exemplo a Vitoria Secret, faz uma campanha sobre corpos perfeitos, usando modelos com corpos que a maioria de nós nunca terá e falamos sobre o quanto isto é limitativo, que a sociedade nos impinge ideais completamente inatingíveis mas na verdade somos as primeiras a apontar o dedo cheio de inveja quando uma grávida está em excelente forma ou quando alguém por exemplo tem ali uma celulite ou uma barriguinha.

Sim a publicidade impinge-nos muitos corpos que para a maioria de nós ficam lá longe onde o rei perdeu as botas. Mas a verdade é que nós somos umas verdadeiras cabras no que toca a olhar para o corpo umas das outras.
Somos hipócritas é o que é. Adoramos comentar o corpo da vizinha. Adoramos dar aquela forçinha à amiga gordinha que está a fazer dieta. Adoramos mostrar que somos todas feministas, que lutamos pelos nossos direitos. Mas depois quando alguma coisa sai de fora dos supostos padrões lá está a grupeta de mulheres pronta para esmiuçar toda a vida e corpo da pessoa e dar opiniões idiotas sem sabermos se podemos mesmo estar a magoar a outra pessoa ou não.

Ando cansada desta constante necessidade de opinião da parte das mulheres.

De repente todas as pessoas se acham no direito de opinar a barriga de uma, as pernas de outra, se tem muito músculo, se come bem ou não ou se é uma grávida em forma. Opá a sério não me lixem. Se querem ter um corpo bonito trabalhem para isso. Pensem menos no corpo da vizinha e mais no vosso. E metam na vossa cabeça que infelizmente nem todas poderemos ser Giseles e é ok assim. Porque o mundo é efectivamente mais bonito com pessoas diferentes.

Óbvio que eu não defendo a obesidade, especialmente por razões de saúde e porque hoje em dia eu sou efectivamente mais feliz e isso deve-se também ao facto de ter perdido peso, mas acima de tudo eu defendo que as pessoas devem estar bem felizes e se há alguém que tem excesso de peso mas sente-se bem consigo própria então deixem-na ser, deixam-na estar, da mesma forma que se há uma grávida que está ali com um corpo impecável, nós temos é de lhe dar os parabéns e seguir a vidinha.

É provável que a rapariga grávida até treine (tinha aspecto disso).

Tal como duas grávidas na minha box treinaram até quase parirem. E não só me deixavam de boca a aberta de cada vez que eu me queria queixar que estava cansada. Como depois das crianças nascerem, tiveram uma recuperação maravilhosa. No fundo estas grávidas não usaram a gravidez como desculpa para não mexerem uma palha e comerem este mundo e outro. E apesar de saber que há pessoas que têm gravidezes de risco. Eu acho que a maioria acaba por engordar porque para mesmo de treinar. Ou se calhar até já tinha excesso de peso antes.

É uma escolha claro está. Mas da mesma forma que as pessoas respeitam uma grávida que decide não fazer nada. Deveriam respeitar as que decidem continuar activas com as devidas adaptações entendem? No fundo, todos temos liberdade de fazer as nossas escolhas. E temos de ter noção que qualquer escolha tem uma consequência. Não nos cabe a nós, julgar se A ou B está em melhor ou pior forma do que seria expectável.

RELATED POSTS

8 Comments

  1. Responder

    Inês Dionísio

    Março 31, 2017

    As mulheres conseguem ser muito más!

    Beijinhos,
    Inês
    http://www.indiglitz.pt

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Abril 9, 2017

      a verdade é que temos muita coisa boa, mas infelizmente também temos esta parte mais nheee 🙁

      beijinhos

  2. Responder

    Pirilampos Marte

    Março 31, 2017

    As mulheres são terríveis e sempre serão.
    Beijinhos,
    http://www.pirilamposemarte.com

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Abril 9, 2017

      esta parte da inveja é de facto uma parte menos boa de nós 🙁

  3. Responder

    The Brunette's Tofu

    Abril 1, 2017

    Infelizmente dessa gente está o mundo cheio. Dos que esboçam sorrisos pela frente, nos dão palmadinhas nas costas e quando nos voltamos falam até mais não. Dos que têm inveja das nossas conquistas, por mais que digam que ficam orgulhosos (ou não). Até onde irá a hipocrisia? Enfim.

    Como te compreendo, minha querida! Um beijinho grande

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Abril 9, 2017

      beijinho muito grande babe

  4. Responder

    Sofia

    Abril 1, 2017

    Olha, bato palmas ao teu texto! Sempre disse que nós, mulheres, somos as nossas piores inimigas. Também acredito que é porque somos educadas a ser assim, uma vez que nos incutem que o nosso aspecto é a nossa característica mais importante, mas acho que está mais que na altura de se acabarem com estes estereótipos!

    Quanto à temática das grávidas em particular, partilho da tua opinião. Claro que há pessoas com má circulação e que fazem imensa retenção de líquidos e incham, há grávidas que têm que estar em repouso, enfim, cada casa é um caso. Mas, na maior parte das vezes, acho que usam a desculpa de "ter de comer por dois" para comerem este mundo e o outro =P

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Abril 9, 2017

      obrigada sofia 🙂 e concordo contigo acho que o facto de quase nos fazerem uma lavagem cerebral diaria sobre como devemos ser acaba por dar a algumas pessoas o direito de acharem que podem opinar sobre tudo. beijinhos

LEAVE A COMMENT