Adoptei um gato adulto com FIV e agora?

gatos com fiv podem conviver com outros gatos

Em Dezembro contei-vos aqui sobre o milagre de Natal que aconteceu ao adoptar o Robin e o Luke depois de ter perdido de uma forma precoce e muito injusta o meu adorado Pablo e falei-vos por alto sobre o Robin ser FIV positivo.

Quando me apaixonei pelo Robin li a sua história e vi logo que era portador de FIV. Mas ao contrário da maioria das pessoas que se interessaram por ele – foram muitas porque aparentemente ele é um gato de raça – mas que ao saberem que tinha FIV descartaram-no logo, eu decidi saber mais sobre a doença e depois ir conhecê-lo.

Uma das coisas que mais me comoveu no Robin foi saber que ele claramente seria julgado pela sua doença, afinal de contas se o facto de ser adulto – 3 anos – já é uma grande condicionante para as adopções imaginem só tendo uma doença sem cura. Sendo eu voluntária na UPPA sei que a grande maioria das pessoas não quer animais adultos e muito menos doentes. Por isso nem lhes chega a dar uma hipótese de mostrarem o quanto são especiais e o quanto são iguais a todos os outros.

O que vos posso dizer do Robin é que é claramente um dos gatos mais meigos do universo tal como o Pablo era. Muito calmo. Muito doce. Muito pachorrento. O verdadeiro gato das botas que quer comer, dormir e ser amado. E que merece ter tudo isto independentemente de ser portador de uma doença sem cura. Lá por casa costumamos dizer que o Robin olha para nós com olhar agradecido. Com olhos de quem sabe que lhe saiu a sorte grande porque tem uma família que o ama mesmo muito. Mas se querem saber eu acho que quem ficou a ganhar fomos mesmo nós porque ele mostra-nos todos os dias o gato especial que é.

Quando tomámos a decisão de o adoptar eu informei-me muito. Li muito na internet. Falei com veterinários. Mas também tive muitas pessoas a fazerem-me várias questões sobre esta condição e exactamente por isto decidi fazer este post. Para desmistificar esta doença e quem sabe não vos inspirar a salvar uma vida.

como se transmite o fiv a sida felina

1º O que é o FIV?

O FIV é vulgarmente conhecido pela sida dos gatos porque na realidade acaba por funcionar da mesma forma. É um vírus que afecta o sistema imunitário do gato deixando-o ao longo do tempo sem defesas ou com maior dificuldade em recuperar de doenças. Tal como sempre ouvimos dizer por exemplo, que pessoas não morrem de sida mas sim de uma constipação que pode virar pneumonia, no FIV é exactamente a mesma coisa.

2º O FIV é igual ao FELV?

Não. Há muito esta questão porque vemos várias pessoas a dizerem que gatos são negativos ou positivos a FIV e FELV. Normalmente fazem-se estes testes em conjunto, mas o FELV é a leucemia felina. Uma doença que acaba por ser muito pior porque afecta não só directamente a saúde do animal como também é altamente transmissível para outros gatos pelo simples usar do mesmo wc ou comerem da mesma tigela. Da mesma forma o FELV infelizmente acaba por ser muito mais mortífero do que o FIV.

3º O FIV transmite-se ao ser humano?

Esta é a segunda pergunta, que normalmente me fazem quando digo que tenho um gato FIV. A primeira claro está é “O que é o FIV” e depois vem logo esta, mas para vos descansar, não, o FIV só se transmite entre gatos portanto o maior risco que correm é de ter um gato completamente apaixonado por vocês.

quais os sintomas de um gato com fiv

4º Então como é transmitido?

Ao contrário do FELV que é transmitido pela simples utilização da mesma tigela de comida ou bebida, o FIV é um vírus muito frágil e quando está exposto ao nosso meio ambiente morre muito facilmente. Portanto a probabilidade de ele passar pela simples lavagem de pelo ou utilização na mesma tigela é praticamente inexistente. A forma mais directa do vírus passar é entrando directamente na corrente sanguínea através de uma mordida do gato infectado a um não infectado.

5º Sendo assim não posso ter um gato FIV positivo e outro negativo na mesma casa?

Quando conheci o Robin ele vivia livremente no abrigo juntamente com outros gatos. Não ligava nenhuma aos adultos mas era completamente apaixonado por gatos bebés, era o paizão lá do sitio e esta foi uma das razões da vinda do Luke que é FIV negativo. No entanto antes de tomar esta decisão informei-me com a veterinária e o que fiquei a saber foi que: Sendo o FIV transmitido por mordida este tipo de situação acontece normalmente a gatos que vivem na rua e que necessitam de disputar fêmeas ou comida e por isso entram em lutas. Um gato que viva num ambiente calmo, que esteja esterilizado e que não esteja sujeito a stress, dificilmente irá ter necessidade de lutar pelo que quer que seja.

Para ajudar o Robin é um gato extremamente calmo. Acredito que tenha apanhado FIV por ter sido mordido pois foi encontrado com uma grande ferida na orelha. Tem um perfil muito amoroso e carinhoso e adora de paixão o Luke.

Já se conheciam. Já viviam juntos e o Luke sempre esteve negativo. A veterinária mostrou-me vários estudos feitos em alguns países, que mostram que a taxa de transmissão entre gatos que vivem juntos em ambientes calmos é muito reduzida cerca de 1%.

Claro que há sempre um risco apesar de muito baixo. Mas achámos que dada a relação tão unida deles seria uma injustiça separá-los e com o apoio da veterinária acabámos por trazer também o Luke. E não nos arrependemos nem um minuto. Divertem-se, comem, dorme juntos. E acima de tudo estão muito felizes. Anualmente faremos o teste ao Luke para ir controlando a situação.

existe tratamento para gatos com fiv

6º Quais os sintomas de um gato FIV?

Pelo que percebi o FIV tem 3 estágios. A primeira fase acontece logo umas 4 semanas depois da transmissão e é muito complicada porque o gato fica muito frágil, sofre de febre, tem uma redução de leucócitos no sangue, os rins e o fígado aumentam e fica tão frágil que pode mesmo falecer.

Depois de passar nesta fase entra na fase assintomática que é justamente onde o Robin se encontra. E pode viver assim durante anos ou mesmo para sempre. Nesta fase o animal tem FIV mas não apresenta nenhum sintoma de qualquer tipo de doença. O Robin tem um dos rins maior do que o outro. Foi algo que já sabíamos quando o adoptámos, e no futuro pode vir a desenvolver insuficiência renal. Por esta razão tem de ser monitorizado de 3 em 3 meses. Mas tirando isto é um gato perfeitamente normal com excelentes análises, que corre e brinca como qualquer outro gato.

Por fim alguns gatos especialmente na velhice começam a desenvolver algumas doenças que se tornam mais complicadas de tratar pelo sistema imunitário debilitado. Esta é a última fase da doença e apesar de nem todos poderem vir a chegar lá é claramente a fase pior.

7º Quais os cuidados com um gato FIV?

Sinceramente são os mesmos do que um gato sem FIV. A única diferença é que precisam de estar mais atentos a pequenos sintomas. Vou dar-vos um exemplo:

Quando o Robin veio para a nossa casa não estranhou nada a mudança. Andou pela casa como se já mandasse naquilo tudo. Mas a veterinária avisou logo que estas mudanças acabam por lhes mandar um pouco o sistema imunitário abaixo.

Uma semana depois eu comecei a notar que ele estava com um corrimento escuro nos olhos. Limpei durante dois dias e como não passou levámos ao médico onde foi diagnosticado conjuntivite num estado muitooooooo inicial e que foi facilmente tratada.

Ou seja se eu não estivesse atenta a conjuntivite tinha-se agravado. Tinha sido mais complicada de tratar e até poderia ter-se transmitido ao Luke. Mas como notei logo algo estranho atacámos no inicio e tudo correu bem.

Por isso no fundo o único maior cuidado é estar atento. Se ele espirra algumas vezes é necessário levar ao veterinário. Se o corrimento dos olhos e das orelhas não passa em dois dias, é preciso levar ao veterinário. Porque estando o sistema imunitário debilitado é preciso tratar as doenças no inicio. Tirando isto é o que todos precisam, uma boa ração muito amor, calma e uma vida feliz.

8º Sendo assim são animais que trazem muitos gastos.

Todos os animais dão despesa sejam doentes ou não. Como já vos expliquei o FIV é uma espécie de doença silenciosa que pode manter-se na fase assintomática durante muitos anos e com os devidos cuidados especialmente alimentares os gastos são exactamente os mesmos que um gato saudável.

Para além disso imaginem a despesa que um carro vos dá. Se compararem vão perceber que não é um gato com FIV que vos vai levar à falência. Até porque se o vosso principio quando adoptam um animal for as despesas que podem ou não vir a ter com ele mais vale não adoptarem. Porque infelizmente os animais tal como nós adoecem sem avisar.

Como já vos expliquei o Pablo que sempre foi saudável, ficou doente sem que nada o fizesse prever e numa semana posso dizer-vos que a conta chegou praticamente aos 4 digitos,. Portanto meus amigos adoptem porque amam.  Adoptem com consciência. E isso inclui fazerem contas à vossa vida antes e não depois de terem um animal.

9º Por fim qual a estimativa de vida de um gato FIV?

Esta meus caros é uma resposta que vos dou com um nó no coração. Porque tendo FIV ou não os animais tal como nós morrem. E esta é a mais pura das verdades. Infelizmente o meu Pablo morreu muito jovem e de uma forma muito triste, portanto desde esse momento deixei de me questionar muito sobre a duração da vida.

A verdade é que há cada vez mais estudos que indicam que gatos FIV positivos com os devidos cuidados, que são seguidos regularmente por veterinários, que vivem uma vida tranquila e têm acesso a uma boa ração chegam a viver 14 anos ou mais. Portanto no fundo o que importa é que enquanto estejam vivos recebam todo o amor que merecem.

Não sei quantos anos o Robin irá viver. Mas garanto-vos que não há um dia em que não agradeça tê-lo encontrado naquele álbum de Facebook. Ou será que foi ele que me encontrou 🙂

Espero ter-vos esclarecido sobre esta doença. E acima de tudo espero ter-vos inspirado a fazer a diferença na vida de um animal destes.

Há muitos a precisarem de um lar. E que acabam por ser discriminados pela doença que carregam, mas que têm tanto amor para dar e uma vida tão longa para viver como qualquer outro animal.

Fevereiro 8, 2017
Fevereiro 12, 2017

RELATED POSTS

13 Comments

  1. Responder

    Moonchild

    Fevereiro 9, 2017

    são lindos os teus meninos…já tive um que morreu com Fiv …fiz tudo para o salvar…mas foi em vão, a doença manifestou-se no estômago..tudo o que ingeria vomitava…

    bom dia

    -____-

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Fevereiro 9, 2017

      tenho pena 🙁 mas acredito que lhe deste a melhor vida que conseguiste 🙂 um grande beijinho 🙂

  2. Responder

    Candybabe

    Fevereiro 9, 2017

    Tu és incrível!!!!
    Parabéns pela tua atitude e tenho a certeza que eles te darão muitas compensações ***
    Beijinhos

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Fevereiro 9, 2017

      sem dúvida, são gatos excepcionais <3 obrigada pelo carinho 🙂

  3. Responder

    Flicker

    Fevereiro 9, 2017

    Só para acrescentar, a sorte foi nossa em encontrar o Robin e o Luke!
    Ainda para mais o Robin tem tanto de Pablo que as vezes até nos deixa embasbacados!
    Concluindo, apaixonem-se e o resto consegue-se 🙂

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Fevereiro 9, 2017

      sem dúvida, eles são a melhor dupla 🙂

  4. Responder

    Patrícia Silva

    Fevereiro 9, 2017

    Eles são lindos! Sem dúvida que fizeste bem em adotar ambos, não irá ser uma doença que irá impedir estes animais lindos e maravilhosos de nos trazerem amor e alegria! Eu tive uma gata durante 17 anos e infelizmente no ano passado partiu 🙁 não podia ter tido melhor companhia para crescer. Quem me dera que a casa onde estou em Lisboa permitisse animais. kiss^^

    Patsilvarte
    Saco Surpresa

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Fevereiro 17, 2017

      bem mas viveu imensos anos que linda 🙂 e acredito que foi muito feliz 🙂 um grande beijinho

  5. Responder

    PINTA ROXA

    Fevereiro 10, 2017

    Encontrei assim por acaso o teu blog. amo gatos e tenho uma que alguem simplesmente abrio a porta do carro e a deixou na estrada ainda bebe, veio para nossa casa e desde há quase 4 anos é a rainha do lar. Gostava de ir buscar outro principalemnte um que tivesse algum problema os ditos gatos que ninguem quer, um gato cego, mas ela não se dá com outros gatos. já cá tenho tido um de um familiar na altura das férias e é complicado, a minha não dá espaço ao outro, corre com ele, não o deixa comer, tenho de os separar, por isso acho que não se adaptaria a ter um companheiro a tempo inteiro. Gosto muito de gatos brancos e de pretos e costumo dizer em brincadeira que como esta queria ser unica, é cinzenta 🙂
    Felicidades e que sejam companheiros por muitos muitos e muitos anos.

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Fevereiro 17, 2017

      as pessoas são crueis não são? felizmente não lhe viraste as costas e apesar de não conseguires ter mais nenhum já salvaste essa menina 🙂 um grande beijinho

  6. Responder

    Christine Paola

    Fevereiro 16, 2017

    Também tenho uma gatinha com Fiv . Nasceu com fiv . Pois a mãe era portadora .
    E é a minha companheira 🙂 ja a dois anos .

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Fevereiro 17, 2017

      adoro saber de casos de gatinhos FIV que estão felizes e com saude 🙂 obrigada pela tua partilha. beijinhos

  7. Responder

    Anónimo

    Junho 8, 2017

    EU Tinha um gato que foi diagnosticado com Fiv e Felv,era lindo,não demonstrava estar doente…Mas parou de comer e de repente não andava direito.Levei ao Veterinário,infelizmente estava na fase avançada da doença,foi lhe dado a eutanásia para poupar o sofrimento.Ele passou a Fiv para o meu outro gato,mas felizmente não tem a Felv.Agora é cuidar deste PELUDO com todo amor,cuidado e carinho enquanto ele estiver vivo.

LEAVE A COMMENT