Vamos até Koh Samui

A minha segunda viagem à Tailândia já foi em Julho e apesar de já lá ter estado duas vezes garanto-vos que regressava novamente sem pensar duas vezes. 

Sim eu sei que há todo um mundo para explorar e quero conhecer muito mais ou não fosse eu verdadeiramente viciada em viajar, mas já disse mil vezes por aqui que a Ásia, deixa-me sempre com o coração a palpitar de cada vez que penso no que já vi e no tanto que ainda existe para ver. E é por eu adorar verdadeiramente falar daquele lado do mundo que decidi falar-vos então por onde andámos desta vez. 
Ao contrário de 2014 que estivemos por aquelas bandas praticamente 20 dias e ainda conseguimos dar um pulo ao Camboja, desta vez tínhamos menos de duas semanas para aproveitar por isso decidimos que íamos deixar as cidades de lado (queremos tanto conhecer Chiang Mai e Chiang Rai) e dedicar-nos somente a praia, águas muito quentes e muitas massagens ao preço da chuva.
Na primeira viagem fomos até Koh Ngai no sul, uma ilha tão perdida na Tailândia que nem os próprios tailandeses a conhecem ou seja o verdadeiro paraíso perdido na terra. Desta vez decidimos que iríamos explorar o Norte e como fomos em Julho época das monções decidimos ir para Koh Samui e Koh Tao, pois sabíamos que nessa altura as monções afectavam o lado oposto, ou seja as famosas Phi Phi e Phuket.

  • O VOO

Voámos até Banguekok através da Ethiad , a minha bagagem perdeu-se e tivémos de ir comprar roupa para mim, a sorte é que lá é tudo bastante mais barato. Arranjámos um hotel muito porreiro mesmo ao lado do aeroporto secundário e na madrugada do dia a seguir apanhámos um avião da Air Asia para Koh Samui. Esta viagem comprada directamente no site da companhia já incluia todos os transfers o que é óptimo e se estão a pensar que foi a companhia onde há dois anos caiu um avião, não se preocupem, porque esse acidente aconteceu um mês depois de nós lá termos estado e no entanto ficámos tão bem impressionados com a companhia que voltámos a confiar neles este ano. Existem voos directos do aeroporto de Banguekok para Samui mas fica-vos mais caro do que irem pela Air Asia. 

  • Tranfer para o Hotel
Koh Samui é a segunda maior ilha da Tailândia, portanto muito provavelmente vão precisar de apanhar um meio de transporte para ir para o vosso hotel. O que nós costumamos fazer antes de irmos é contactar os hoteis onde vamos ficar e perguntar se têm transfer e se nos podem vir buscar. A grande maioria tem este serviço e isto dá bastante jeito, pois quando chegamos a um local especialmente vindos de viagens tão longas a última coisa que nos apetece é estar a negociar viagens. Depois para se movimentarem há mil opções, mas quando ainda não sabem onde é o hotel esta é uma excelente opção. 

  • O Hotel

Samui está muito bem dividido. Tem uma parte mais de festas, bares e muita gente que é Chaweng ou Lamai e tem outras zonas mais calmas, com praias bem mais bonitas como Maenam (que foi onde ficámos). O nosso hotel foi The Hammock Samui Resort, e ficava literalmente em cima da praia. O staff era muito simpático, a praia tinha imensos cães maravilhosos e super bem tratados, tinha uma tenda de massagens na areia simplesmente divinal onde acabávamos os nossos dias e a comida era óptima. Nós gostamos imenso de ir comer aos restaurantes locais, mas no primeiro dia comemos no resort e ficámos bastante satisfeitos com a qualidade e com o preço. O hotel tinha também uma piscina mas com a praia mesmo na ponta dos pés quem é que quer ficar em piscinas 🙂

  • As praias
Uma coisa comum a toda a ilha é a água quente, isso é inegável, é aquele tipo de água que chega a estar tão quente que às vezes vão ficar a pensar se estão melhor dentro de água ou fora. Depois tem tudo a ver com a afluência, há praias que por terem muitos turistas estão mais sujas como as de Chaweng. Nós ficámos mesmo apaixonados pela praia de Maenam, era ridicularmente bonita, a água era maravilhosa e cristalina e os pôr-do-sol naquela praia eram de cortar a respiração. No entanto praias maravilhosas é o que não faltam como, Lamai, Bo Phut, Tongsay Bai entre outras.

  • Cascatas número 2

Perguntámos ao senhor do hotel o que recomendava ele em Samui e ele falou-nos das cascatas, eram de difícil acesso mas valiam muito a pena. Apanhámos um Tuk Tuk (ao contrário de Banguekok que os Tuk Tuks são individuais, em Samui são comunitários) pedimos para nos levar até às cascatas e lá fomos nós. Chegados ao sítio ainda tivemos de subir 800 m a pé no meio de um calor muito húmido. Pelo meio fomos encontrando oferta de passeios de elefantes e outros shows com animais mas como somos contra este tipo de negócio não o fizemos. Chegados finalmente às cascatas demos finalmente um mergulho. As cascatas são pequenas mas muito bonitas, e o banho refrescante que se pode tomar é sem dúvida muito gratificante.

  • O Monge Mumificado

Bem confesso que não estava lá com grande vontade de ir ver isto, mas ele insistiu tanto que fomos e até achei interessante. É o corpo real de um monge que morreu na posição de meditação e após a sua morte o corpo não se decompôs. Para quem se pergunta sobre os óculos de sol, dizem que é porque somente os olhos acabaram por se degradar, então é uma forma de proteger. 

  • Angthong national marine park

    Esta foi a única tour que fizemos em Koh Samui, porque era mesmo a que valia a pena. Tudo o resto acabámos por travar amizade com um taxista que nos fez um preço bem simpático e nos levou a conhecer toda a ilha. Quanto a Angthong é um arquipélago composto por 42 ilhas, com praias maravilhosas e o famoso viewpoint da lagoa interna do parque que é de cortar a respiração. A Tour dura um dia, visitámos várias ilhas, fizemos snorkeling mas tivemos pouca sorte pois na noite anterior tinha chovido bastante portanto as águas estavam turvas. Fomos à ilha do macaco, almoçámos numa ilha de pescadores e terminámos o dia a fazer kayak numa praia incrível, onde eu percebi que não tenho jeito nenhum para esta modalidade e o máximo que conseguimos foi andar às voltas feitos tontos. 

    • Os templos

    Samui tem um Big Budha, mas confesso que desta vez os únicos templos que visitámos foi um que ficava perto do hotel e outro perto do Monge Mumificado, isto porque a Tailândia está cheia de templos e budas grandes, pequenos, médios e como nós em Banguecoque já tínhamos visto imensos decidimos aproveitar para conhecer outros locais. 

    • Onde comer e o que comer

    Na rua sem sombra de dúvida, é onde se come melhor e mais barato. Há dois anos quando chegámos a Banguecoque e tivemos um primeiro choque cultural achávamos que não íamos comer na rua, mas depois de provar garanto-vos que não há melhor. As pessoas são simpáticas, a comida é sem qualquer glamour mas muito deliciosa e os preços são muito baixos, por isso vão às tascas e barraquinhas de rua comer. Quanto ao que comer, não se preocupem que no geral não vão ver bicharada nos menus e a comida Tailandesa é deliciosa apesar de um pouco picante, eu sou viciada em Pad Thai que é massa de arroz que acompanha com vegetais, carne, peixe, marisco ou tofu. Depois sempre que vou para a Tailândia tiro a barriga de miséria de água e gelado de coco. 

    • Como se moverem em Samui

    Se sabem andar de mota sem dúvida que esta é a melhor opção e a mais barata. Mas atenção é mesmo saber andar de mota, não é dar uns toques porque não só o trânsito lá é caótico e eles pouco respeitam as regras de trânsito (se é que elas existem) como para juntar à festa eles conduzem do lado contrário ao nosso. No entanto se estiverem à vontade é sem dúvida o melhor meio de transporte para conhecerem toda a ilha à vossa vontade. 

    Depois podem apanhar taxis ou Tuk Tuk comunitários (nós usámos os dois), em ambos os casos vão ter de negociar (como em tudo na Tailândia), os Taxi são por norma mais caros, e em Samui eles acabam por se esticar no preço. Como disse acima nós tivemos mesmo sorte de conhecer o Mr Sak que nos fez um preço espectacular e nos levou a conhecer toda a ilha. 

    • Quanto tempo ficar em Koh Samui

    Ui se pudesse ficava lá meses. Nós ficámos 4 dias e quando chegou o último dia estávamos com um ar de quem não queria ir embora porque tinha sido absolutamente espectacular. Samui tem muita vida e por isso vocês conseguem fazer muito mais do que estar de barriga para o ar na praia e como férias só de resort não são de todo aquilo que nós gostamos, as ilhas da Tailândia são a conjugação perfeita entre quem gosta de apanhar sol e conhecer coisas. Para além disso seja de dia ou de noite sempre nos sentimos seguros (já em Banguecoque sentimos o mesmo), portanto a minha opinião é que Samui é daquelas ilhas que por mais tempo que lá estejam vão sempre achar que foi pouco. 

    Gostaram do roteiro? Se tiverem dúvidas não deixem de me perguntar, eu entretanto vou preparando o post para Koh Tao e garanto-vos que vão ficar de boca aberta, com a beleza daquela que é conhecida pelo paraíso do snorkeling. 
    Se quiserem saber mais sobre a viagem que fizémos à Tailândia e Camboja em 2014 vejam aqui.

    RELATED POSTS

    5 Comments

    1. Responder

      Flicker

      Outubro 20, 2016

      Saudades 🙂

    2. Responder

      Dianinha Gomes

      Outubro 21, 2016

      vânia tenho uma inveja muito boa destas tuas viagens pela Tailândia. É um dos meus destinos de sonho juntamente com o Camboja onde também já estiveste, enquanto não realizo esse sonho é sempre bom ir acompanhando por aqui e sonhar muito.

    3. Responder

      Miya

      Outubro 30, 2016

      wow estas fotografias são de deixar qualquer um com vontade de conhecer a Tailândia 🙂

    4. Responder

      Ju Figueiredo Silva

      Outubro 30, 2016

      Lindo demais 🙂 um dia estes teus posts vão ajudar-me 🙂

      • Responder

        lollytasteblogvania

        Outubro 30, 2016

        terei todo o gosto em dar-te ajuda personalizada <3 <3

    LEAVE A COMMENT