Não sejas bully contigo

“…com certeza não fazes a outras mulheres as críticas tão duras que fazes a ti mesma e que te deixam com esse medo de voltar atrás. Quando olhares ao espelho, pensa que estás a olhar para qualquer outra pessoa que não tu. O que é que lhe dirias? “

Uma das melhores coisas que o blogue sempre me trouxe foi a oportunidade de trocar ideias com outras pessoas e a semana passada recebi um comentário da Joana Sousa que me deixou realmente a pensar sobre a forma como nos tratamos e entre várias coisas que a Joana escreveu aquela parte acima foi como uma abanão.

Eu sempre defendi o respeito pelo próximo, seja ser humano ou animal e porque sofri com bullying na adolescência que me levou efectivamente a sofrer de bulimia, sempre tive muito cuidado com as minhas palavras quando o tema era o excesso de peso de outra pessoa. Porque dói quando falam de nós como “a gorda”, dói quando estamos a comer qualquer coisa e olham para nós com ar reprovador e quase de nojo de “lá está a gorda a enfardar”, dói e deixa marcas profundas na alma.
Quando crescemos acabamos por ser mais comedidos nas palavras, acabamos por ter outro tipo de cuidado que não temos quando somos jovens e palermas, então se o fazemos com os outros porque não o fazemos connosco próprios? Sejamos sinceros, quantos de nós se amam verdadeiramente Quantos de nós olham para o espelho e conseguem ver defeitos que mais ninguém vê? 
E é por isto, que este comentário da Joana me tocou particularmente, porque isto de nos criticarmos constantemente, de olharmos para nós sempre com tanto desdém e tristeza tem de acabar, porque a vida é curta de mais, porque este é o corpo que temos e mais do que desfilar os abdominais perfeitos temos de aprender a respeitar-nos e agradecer pela saúde. 
Isto não significa que seja mau querer melhorar óbvio que não, acho muito bem que se não estamos satisfeitos com alguma parte do corpo lutemos para a melhorar, mas qual é a linha que divide desejo de melhorar de obsessão? Quantas vezes até não achamos que aquela amiga podia fazer uma dieta para melhorar o seu estilo de vida mas como temos receio de magoar os seus sentimentos acabamos por nos calar? Então porque achamos que temos o direito de nos tratar mal, de nos odiar de fazer críticas tão grosseiras ao nosso corpo, mesmo que até tenhamos perdido peso e todos nos digam que estamos bem? Porque é que não abraçamos estes progressos que verdadeira alegria.
Na época da primeira foto eu sofri muitos comentários maus, muitos olhares reprovadores, muito gozo, acabei por cair num buraco muito negro de um distúrbio alimentar mas consegui lutar contra essa bulimia e hoje ao olhar para estas fotos sei que estou muito longe de onde já estive, e mesmo que este ano as compulsões tenham voltado e que tenha deixado a ansiedade e dietas palermas levarem a melhor eu tenho de interiorizar que não posso sentir hoje em dia as mesmas coisas que sentia na altura da primeira foto, porque entre elas há um longo caminho que as separa, há muitas vitórias e sobretudo há uma verdadeira diferença e por tudo o que eu consegui tenho de deixar de ser bully comigo mesma, porque se respeito a individualidade dos outros, tenho de conseguir fazer o mesmo comigo. 
Amarmo-nos, ficar-mos felizes com os nossos progressos e saber levantar a cabeça, esta é a maior prova de respeito e amor que podemos dar ao nosso corpo. 
Agosto 25, 2016
Agosto 26, 2016

RELATED POSTS

2 Comments

  1. Responder

    Joana Sousa

    Agosto 26, 2016

    Oh Vânia <3 não imaginas como me deixa feliz saber que te pus a pensar no assunto! Tudo começa assim, e se é perfeitamente normal e aceitável que queiramos melhorar isto ou aquilo no nosso corpo, já não é normal nem aceitável sermos cruéis com nós mesmos. Foi tão bom ler isto!

    Jiji

    • Responder

      lollytasteblogvania

      Agosto 26, 2016

      obrigada eu pelo teu comentário tão certeiro, obrigada acima de tudo por te preocupares.

LEAVE A COMMENT