Tailândia – Ayutthaya

Chegamos então a Ayutthaya a antiga capital da Tailândia e que fica a 80 km da cidade de Banguecoque. Pedimos um taxi no hotel no dia anterior, acordámos o valor e o taxista ficou o dia todo connosco. Descobri depois que é possível ir de autocarro ou comboio para Ayutthaya e os preços são bem mais em conta, mas neste dia com o calor infernal que se fazia sentir não me importei de pagar mais e não ter de estar à espera de transportes.

 
A antiga capital da Tailândia foi fundada em 1350 no centro do Reino do Sião. Este  lugar era governado por 35 reis diferentes, até que em 1767 Ayutthaya foi completamente destruída pelo exército birmanês.
Começámos a visita por Wat Lokayasutharam um grande
Buda reclinado de cimento com 37 metros de comprimento e 8 de altura,
cuja cabeça repousa sobre uma flor de lótus. Este é um lugar sagrado, um centro de peregrinação
famoso na Tailândia, por isso é muito comum encontrar-se pessoas a
fazer oferendas e a rezar para o Buddha de Wat Lokayasutharam. 
Ayutthaya, foi uma das mais importantes cidades da época com mais de 1 milhão de habitantes.
A sua perfeita localização a meio caminho entre a China, a Índia e a Malásia
ajudou a desenvolver o comércio da cidade, onde navios europeus,
japoneses e chineses usavam o porto da cidade para venderem e comprarem madeira
teca, marfim, peles, seda e todo o tipo de artesanato. Muitos destes
comerciantes alegaram que Ayutthaya era a mais esplêndida cidade que já tinham visto ficando conhecida por A Veneza do Oriente.

No
seu auge, Ayutthaya tinha mais de 1500 templos, 4000 estátuas e muito
muito ouro, mas o exército birmanês roubou o que podia e destruiu o
resto decapitando grande parte das estátuas de Buda.

Neste dia em especial estava um calor insuportável e sendo que o complexo de Ayutthaya é muito grande, houve alturas bem custosas. Bebíamos água a uma velocidade louca e mesmo assim continuávamos com sede. Uma prova do grande calor que se fazia sentir eram os cães que praticamente não se mexiam.
Entre tantos outros complexos que fomos vendo chegámos finalmente a uma das zonas que eu tinha mais curiosidade e claramente o cartão de visita de quem vê imagens de Ayutthaya – Wat Yai Chaya Mongkol.
Este lugar data de 1357 e o seu nome significa grande mosteiro de sorte, em referência a uma vitória contra o povo birmanês. O grande templo esta aberto ao público e
seu interior pode ser visitado. Este edifício de Ayutthaya tem 62 metros de altura e dentro dele existe um poço com águas subterrâneas que pode também ser visitado.
Outra das grandes atrações da cidade é o palácio Viharn Phra Mongkol Bophit uma cópia do Grand Palace de Banguecoque. O palácio, que pode ser visto hoje é uma restauração, uma
vez que a estrutura original do seu telhado desabou devido a incêndio
durante a queda da cidade de Ayutthaya quando foi invadida.
Para além da arquitectura, uma das coisas mais interessantes é uma grande estátua dourada de Buda que se encontrar no seu interior e é uma das maiores de toda a Tailândia. A estátua encontrava-se originalmente no exterior mas foi muito danificada por um relâmpago e portanto decidiram colocá-la dentro do palácio.  
Na cidade existe ainda um grande parque de elefantes, onde as pessoas podem dar-lhes de comer e pagar para um passeio. Nós não o fizémos pois somos totalmente contra esta prática. Sabíamos antes de partir para lá, que os elefantes para este efeito sofrem torturas inimagináveis de forma a ficarem domesticados, inclusivé elefantes bebes são retirados aos pais muito cedo e também torturados, e sendo o elefante um animal que preserva a família isto é um duro golpe para estes animais fora toda a violência que sofrem depois.
A verdade é que basta uma pesquisa rápida no youtube para perceberem do que falo, é horrível,  desumano e portanto recusámo-nos totalmente a compactuar com este negócio. Da mesma forma é comum encontrarem por todo o país passeios que incluem shows com animais – elefantes, tigres, macacos, nós não assistimos a nenhum.
Terminámos o dia perto de Wat Ratchaburana, um local com duas torres enormes onde descansavam os restos mortais de alguns reis. O final do dia trouxe também uma luz muito bonita característica de toda a Tailândia e Camboja e que muita gente me falava. É um tom avermelhado que confere tanto aos monumentos como às fotos que tiramos uma beleza especial.
Ayuttaya era dos locais que mais tinha curiosidade de visitar e todas as expectativas foram superadas. A verdade é que a grande maioria do complexo que é património mundial está destruído, mas não deixamos de perceber que em tempos aquele foi efectivamente o berço de todo o país por toda a sua grandiosidade. Assim sendo recomendo mesmo a sua visita.
Na próxima semana vamos andar de barco até ao Floating Market. 
Podem ver mais sobre esta viagem aqui.
Janeiro 26, 2015
Janeiro 28, 2015

RELATED POSTS

3 Comments

  1. Responder

    Carpe diem to me

    Janeiro 27, 2015

    Fabuloso e inspirador! A Tailândia é a minha viagem de sonho! 🙂

  2. Responder

    Margarida Ribeiro e Silva

    Janeiro 29, 2015

    Estas cores ♥ Não me canso!

  3. Responder

    Hey Rita

    Janeiro 29, 2015

    Que lindo. Adorei as fotos 🙂

    Rita
    heyrita.co.uk

LEAVE A COMMENT