Desculpas para escrever #3 Um lugar das minhas memórias

Tão fácil esta. Tão fácil e ao mesmo tempo dificil. A terra, aquela terra que sempre foi minha e tua, a nossa terra. Cresci rodeada de animais, de plantas, de natureza e de amor. Cresci na rua sem os medos e as preocupações que hoje em dia ocupam a cabeça de todos na hora de deixar uma criança brincar lá fora. A brincar, a cair, a correr e a apaixonar-me pelo menino mais velho da terra ao lado. Soube desde pequena que a carne não veio dos supermercados e que as batatas vêm da terra. Assisti a partos de grandes bovinos e de pequenos gatinhos, apanhei pinhas para o Inverno, mergulhei numa lagoa com água que corria directamente da serra e fui feliz.

O tempo ali parecia não passar. Brincava de manhã à noite, andava contigo para todo o lado. Lembro-me de me avisares quase sempre que não querias que fosse aos morangos, e lembro-me também das vezes em que descobrias que lá tinha ido e não te zangavas comigo. As festas da Páscoa, o andar de casa em casa, as festas de Verão onde tu me compravas aquela torta que eu tanto gostava, o subir às árvores, ir à loja do senhor António buscar a broa de milho para barrar com manteiga no lanche, o acender da lareira no Inverno enquanto torravas o pão nas brasas para dar um aconchego antes de nos deitarmos.
A terra, aquela que em tempos foi muito minha e tão tua, aquela que amei desde o início e que dizia com todo o sentimento que preferia muito mais do que viver em Lisboa, aquela onde passei 3 e 4 meses de férias da escola no Verão durante anos e outros tantos dias no Natal e na Páscoa,  a mesma que hoje em dia não visito com tanta regularidade porque me doi, porque estás em cada pedaço daquele espaço e ao mesmo tempo não estás, aquela que me lembra o teu cheiro, o teu sorriso e a tua pele queimada do sol.
Fui feliz em muitos locais, mas sem dúvida que o lugar de todas as minhas memórias é a terra da avó.
desculpas para escrever by raquel caldevilla

Janeiro 20, 2015

RELATED POSTS

1 Comment

  1. Responder

    Flicker

    Janeiro 22, 2015

    Tão lindo este texto! Escreves sem qualquer duvida com o coração!

LEAVE A COMMENT