UM AMOR CHAMADO AÇORES #2

Começar a semana a recordar a segunda
parte das férias na ilha Terceira, que apesar de terem sido só em
Setembro parece-me que já foram há uma eternidade.
Os Açores são vibrantes, são um
misto de azul e verde, são uma terra de boas pessoas e de excelente
comida, são sem dúvida o destino ideal para os amantes de peixe e
marisco.

É fácil conhecer a Terceira, é
preciso alugar um carro para nos podermos deslocar melhor, mas a ilha
em si é pequena mas muito pitoresca.
Um dos locais que mais gostei foram os
Biscoitos, uma zona de piscinas naturais com água do mar, que são
circundadas por pedra vulcânica preta e onde se podem tomar óptimos
banhos de mar. No dia em que lá fomos o mar estava muito bravo
portanto as piscinas mais próximas da rebentação estavam fechadas,
mas havia uma mais resguardada em que a água estava a uns
maravilhosos 24 graus e várias pessoas aproveitavam para dar umas
braçadas, até porque como umas senhoras nos disseram estava muito
mais frio fora do que dentro de água.  

Outro momento que me marcou foi ter
visitado Algar do Carvão, um antigo Vulcão que podemos visitar por
dentro e de onde é possível ver a boca por onde foi expelida a
última erupção. É uma experiência incrível e inesquecível.
Em toda a ilha só existe uma via
rápida, tudo o resto são estradas mais pequenas, com muitas subidas
e onde é muito provável que tenham encontros imediatos com algumas
vacas que se passeiam tranquilamente. Elas estão muito habituadas à
presença humana, portanto não esperem que se desviem dos carros, e
a melhor forma de não haver acidentes é conduzir com cuidado, até
porque é muito comum encontrarmos pastores a mudar as vacas de
pastos e isso significa ter de ficar parado à espera que todas
passem.

Lagoa das Patas, apaixonei-me completamente por este lugar perdido no meio de árvores altíssimas que tornavam aquele ambiente bem enigmático, Gruta do Natal, Doze Ribeiras e a lindíssima cidade de Angra do Heroísmo que é património mundial, foram tantos outros sítios por onde nos perdemos e que me deixavam constantemente de boca aberta pela sua grande beleza. 

Para os amantes de doçaria regional, nada melhor do que experimentar as queijadas Dona Amélia, feitas em honra da rainha aquando da sua visita à ilha em 1901, são uma verdadeira maravilha e acreditem que é muito complicado comer só uma. 
Regressei a Lisboa com o coração
cheio depois de 1 semana incrível num dos locais mais bonitos que já
visitei e se já achava que era imprescindível conhecer esta pérola
do nosso país, agora que lá estive afirmo com toda a certeza que os
Açores devem mesmo ser vistos e sentidos porque têm uma magia e um
encanto muito especial.
E apesar das viagens serem um pouco
caras comparando com outras cidades europeias considero que aquilo
que descobrimos ao chegar, compensa em muito o dinheiro da viagem,
por isso depois da bonita Terceira que me deixou rendida, já está
na lista para uma viagem futura conhecer a tão famosa ilha de São
Miguel.

RELATED POSTS

2 Comments

  1. Responder

    D♥LL

    Novembro 18, 2014

    Que cenários maravilhosos!!

    Giveaway a decorrer no meu blog, participa:
    http://doll–house.blogspot.pt/2014/11/cool-giveaway.html

  2. Responder

    Ju Figueiredo Silva

    Novembro 18, 2014

    Nós oferecemos a viagem aos pais do Marco à ilha de S.Miguel 🙂 tb ficaram completamente encantados..dizem que é uma experiência única.
    Acho imensa piada ao facto das estradas serem pequeninas e as vacas andarem lá a passear, uma colega minha mostrou-me uma gravação de quando esteve lá..e está ela a mostrar o verdinho e a relatar (dentro do carro!) quando de repente grita "olha, olha, vacas!" 😉 *

LEAVE A COMMENT