Olhar para o lado

Confesso que com a chegada da crise, a maioria das pessoas arranjou a desculpa perfeita para passar a olhar mais para o que é dos outros e achar-se no direito de comentar tudo, afinal de contas há quem ainda ache que por uns estarem mal todos temos de estar.
Na sexta-feira dia dos namorados, após o meu treino matinal estava no balneário a vestir-me e ia ouvindo a conversa de duas senhoras ao meu lado, que criticavam não só o dia em si como sendo um dia consumista e falso, em que as pessoas fingem gostar umas das outras e o resto do ano mal se falam, e depois o facto de terem visto uma reportagem na tv onde algumas pessoas diziam o que gostavam de receber neste dia.
Estas senhoras donas de toda a razão, diziam que era uma vergonha, que as pessoas só pediam coisas caras, como máquinas de café, telemóveis ou viagens e que era por causa disto que continuávamos a viver na crise. Depois de ouvir isto desliguei, o meu cérebro não lida muito bem com ignorância e especialmente de pessoas mal amadas que criticam tudo e que usam a palavra crise para atacar meio mundo.
Confesso que estou cansada desta palavra e do uso banal que é dado. Sinto que há muita malta por ai com medo de contar os seus sonhos, de contar que este ano até vai fazer uma viagem para fora, porque vão haver sempre estes sanguessugas que só sabem falar mal  e invejar aquilo que não têm.
Vamos lá ver uma coisa, é muito feio olhar para o que é dos outros e especular sobre o que é caro, afinal de contas isto é relativo e o que é caro para mim pode não ser para o vizinho, portanto este tipo de comentários é só e apenas saloio. Depois ser um “hater feroz” do dia dos Namorados também não deixa de ter a sua cota parte de saloio. Se é um dia consumista? Óbvio que sim, como são o Natal, a Páscoa e a Passagem de Ano,  mas nenhum destes dias gera tanta confusão e ódio como o 14 de Fevereiro.
Pessoalmente não celebro este dia com grande fulgor, posso dizer-vos até que em 5 anos de relacionamento este ano foi a primeira vez que trocámos presentes. Há claro a parte lamechas, com mensagens românticas mas também o há o ano todo com pequenos gestos. O ir às compras num dia normal e lembrar-me de lhe oferecer um postal carinhoso, o saber que adora chocolate e por isso levar-lhe um sem estar à espera ou num qualquer dia chegar a casa e ter macarrons à minha espera, porque ele passou perto e lembrou-se que eu gostava. São estes gestos genuínos e sem motivo que alimentam uma relação, o que não invalida que o dia de São Valentim seja um dia especial, um dia que celebra o Amor, tal como o Natal ou a Páscoa celebram outros motivos e não provocam tanto ódio.
Se há pessoas que só se lembram de mimar o parceiro neste dia, mais uma vez isto são questões que a nós não nos dizem respeito, logo estar constantemente a criticar quem opta por o celebrar para mim não deixa de ser um mal amado/a, que das duas uma, ou está sozinho e cheio de ódio por não receber uma caixa de chocolates, ou está acompanhado e preferia não o estar. Para ambas as situações a resposta é: cuidem da vossa vida o melhor que puderem e deixem a dos outros em paz.
Depois banalizar a palavra crise já enjoa. Sim vivemos tempos difíceis é verdade, há muita gente a emigrar, há muita gente com a corda ao pescoço, mas felizmente também há quem se safe neste nosso país. Quem tenha o seu emprego, quem seja responsável, e por isso tem todo e qualquer direito de usufruir como bem entende do dinheiro que ganha. Porque sim há os chicos espertos que vivem à conta do país e dos subsídios, mas também há gente honesta, com as contas pagas, com um pé de meia e que mesmo assim consegue continuar a sonhar com umas férias fora do país.
É que há alturas em que sonhar ter isto ou fazer aquilo parece mal, é como se fossemos obrigados a vestir um semblante carregado, a usar o negro da crise e quem decide destoar com uma cor mais alegre é visto como interesseiro, gastador e sem respeito por esta altura difícil.
Há uma crise financeira sim senhora. Mas também há uma muito grave de valores e princípios e que tem tornado o ser humano nos últimos anos muito mais feio.
Fevereiro 12, 2014

RELATED POSTS

7 Comments

  1. Responder

    Inspired

    Fevereiro 17, 2014

    Totalmente de acordo!

  2. Responder

    Ju Figueiredo Silva

    Fevereiro 17, 2014

    Eu acho que agora está na moda não se gostar de nada e criticar-se tudo..está na moda não gostar do Natal, está na moda não gostar do dia dos namorados..enfim.
    E já estou como tu, cansa-me as pessoas estarem sempre a falar mal de tudo, fonix, não há paciência..gente chata e infeliz, caramba *

  3. Responder

    filosofiabotequim

    Fevereiro 17, 2014

    Assino em baixo. Concordo plenamente. Até considero que quem tece este tipo de comentários e "odiozinhos" fá-lo para não ter de olhar para a sua vida. Infelizmente é assim. Tenho pena.

  4. Responder

    Diana

    Fevereiro 17, 2014

    Concordo contigo, as pessoas apenas sabem criticar e falar mal; invejam os outros pelas metas estabelecidas, desejos criados e objetivos atingidos…
    Concordo contigo em todo o texto e principalmente na última frase: as pessoas estão a perder os seus melhores valores, deixaram de ser humildes e honestas…

    **

  5. Responder

    Tsuri

    Fevereiro 17, 2014

    És grande!

  6. Responder

    Catarina

    Fevereiro 17, 2014

    Concordo com tudo o que disseste. Acho que há um certo 'ser cool' em dizer que não se gosta do Dia dos Namorados, ou de dias parecidos. Depois as desculpas escondem-se todas por detrás da palavra crise. Ninguém precisa de dar prendas caras para comemorar o Dia dos Namorados. Qualquer miminho, jantar romântico, mudar as rotinas para celebrar o amor, chega bem. Especialmente quando as pessoas gostam mesmo uma da outra.

    Mas hoje em dia as pessoas sentem-se muito mal amadas. Porque aquele faz viagens e tem malas caras e tem fama e não-sei-quê. Conselhor: sintam-se gratas por tudo aquilo que têm. Porque muitas vezes essas vidas que tanto invejamos não são tão cor-de-rosa como parecem. E se nos preocuparmos em ser felizes com o que temos, não teremos tanto tempo para invejar e falar das vidas alheias, não é? 🙂

    Beijinhos,
    Catarina.

    http://www.day-dreamer.pt/

  7. Responder

    Karina sem acento

    Fevereiro 18, 2014

    Eu não gosto do dia dos namorados, como não gosto do dia da mãe, nem do pai, etc. Gosto de mimar a minha gente o ano inteiro, por isso é que não ligo a esses dias. Mas concordo com o que dizes, criticar está na berra! Uma pessoa não pode dizer que comprou um carro ou vai de férias para algum lado que há logo olhares e "boquinhas". Aquela que mais me tira do sério é "pois, ainda dizem que estamos em crise!". Em vez de ficarem contentes porque nem todos estão a passar mal, nem fome, que conseguem ir às compras – e estimular a economia – enchem-se de inveja. É feio, muito feio.
    Posso não gostar desses dias como o dos namorados, e não temos por hábito comemorar. Mas o que as outras pessoas fazem ou deixam de fazer é com elas e ninguém tem nada a ver com isso.

LEAVE A COMMENT