Largar a corrente e remar para o lado que nos faz feliz

Há uns bons meses atrás, quando o blogue andava assim num ia e vinha (ou até antes disso), alguém de quem eu prezo muito a opinião disse-me: 
– O teu blogue mudou, já não escreves tanto, já não te divertes tanto, está esquisito e a ficar muito chato.
Na altura disse-lhe que tinha enlouquecido, que nada tinha mudado e a coisa ficou por ali. Entretanto passado muito pouco tempo outra pessoa que também estimo disse-me o mesmo e apesar de não ter ligado grande coisa, aquilo já me soou de forma diferente, mas foi num dia em que andava à procura de uma coisa que tinha escrito há uns anos que me apercebi efectivamente do que estas duas pessoas me queriam dizer.
Quando comecei o blogue nunca tive qualquer objectivo a alcançar com ele (aliás na altura nem sabia muito bem que se podiam alcançar coisas com blogues) e ao longo destes três anos esta ideia sempre se manteve. Nunca foi minha intenção fazer algo, escrever certas coisas ou direccionar o blogue para certos assuntos de forma a conseguir obter coisas sejam elas o que forem. Pode parecer presunção do estilo (ahh ela diz isto porque não lhe oferecem nada, porque se assim fosse a coisa era diferente), mas acreditem que não é, até porque tive há uns tempos uma bela experiência oferecida pelo Oceanário e que chegou de forma insesperada.
Acredito profundamente que cada um deve falar dos assuntos que realmente entende, e acho bem que os bloggers recebam produtos ou dinheiro (para dar a sua opinião verdadeira e não espetarem com press releases nos textos), afinal de contas estamos efectivamente a falar de trocas de serviços e de marcas, muitas delas bem posicionadas no mercado e se em qualquer lado a publicidade é paga, nos blogues não deverá ser diferente, portanto sim concordo plenamente que os bloggers recebam para publicitar algo.
A grande questão aqui é que talvez influenciada um pouco pelo caminho que a maioria da web está a tomar, acabei por me deixar levar e dei por mim a perceber aos poucos que estava a construir um blogue carregado de coisas, com muito pouco sentimento, diversão e boas divagações como sempre gostei de fazer, para se tornar essencialmente um pequeno mostruário e foi aqui que percebi finalmente o que aquelas duas pessoas me quiseram dizer.
Vamos lá ver uma coisa e que não me interpretem mal, há blogues maravilhosos, de pura inspiração que sabem realmente do que falam e nos fazem sonhar com fotos, produtos e locais, que conseguem não passar a linha ténue do fútil e acima de tudo manter a personalidade mas depois surgem tantos outros  que querem chegar ali e funcionam em modo automático, muitos começam assim logo de início outros vão-se alterando conforme a corrente. 
Eu não querendo chegar a lado nenhum, acabei por me deixar ir, acabei por deixar de escrever, acabei por perder a minha identidade e talvez por isso tenha durante uns tempos perdido também o interesse pelo blogue, talvez por isso nos últimos meses tenha pensado mais do que uma vez acabar com este espaço, que aos poucos estava a tornar-se maçador para mim e sem piada, na altura achava que era por falta de tempo (e era também), mas hoje percebo que estava a guiar o espaço por temas que apesar de gostar não me traziam grande prazer a falar deles.
Não quero de todo que pensem que este post é uma critica a alguém ou a algo, é uma constatação minha, que chegou em boa hora e que me fez perceber que aquilo que realmente gosto, a pessoa que realmente sou estava a perder-se por entre um monte de “coisas”.
É tempo então de sacudir a poeira e voltar às origens.
Novembro 4, 2013
Novembro 6, 2013

RELATED POSTS

10 Comments

  1. Responder

    melody

    Novembro 5, 2013

    Eu acho que devemos sempre escrever aquilo com que nos identificamos, sem ligar a quem nos aponta o dedo. E depois sim, ler aquilo que nos agrada. Se acabamos por tirar influências do que lemos? Provavelmente. Mas no nosso cantinho, no nosso blog, devemos escrever aquilo que nos agrada. Porque, acima de tudo, o blog é nosso e é feito para nós. E por isso mesmo, se achas que está na altura de voltar às origens, então que seja um bom "recomeço"! 🙂

  2. Responder

    Farruskinha

    Novembro 5, 2013

    Se achas que é isso que deves fazer, força 🙂

  3. Responder

    Karina sem acento

    Novembro 5, 2013

    Cada um faz do seu blog aquilo que quiser. Valha-me nossa senhora se deixasse de escrever ou escrevinhar aquilo que me vai na alma. E se te sentes assim e achas que é melhor voltar às origens, acho que fazes muito bem, pelo menos eu não vejo o objectivo de se ter um blog se não se sentir prazer e ligação com os assuntos tratados.
    Acima de tudo, faz e procura por aquilo que te faça feliz, no final do dia isso é o mais importante de tudo 🙂

  4. Responder

    Ana Couceiro

    Novembro 5, 2013

    Não me vejo a escrever coisas que não acho e que não sinto. Acho que não tem lógica.. Por isso meu amor, este espaço é teu 🙂
    http://allaboutmakemehappy.blogspot.pt

  5. Responder

    Tsuri

    Novembro 5, 2013

    Querida Vânia, sabes a estima que te tenho.
    A minha humilde opinião baseia-se apenas naquilo que sinto e que eu própria tento fazer, que é nunca perder a essência. Acho que deves mesmo sacudir essa poeira e voltar a ti e só a ti e este blogue deve ser o reflexo disso mesmo.
    Estou contigo!
    um beijinho

  6. Responder

    Ana Sofia Santos

    Novembro 5, 2013

    ah ainda não tinha percebido como se comentava neste novo layout 🙂
    que gosto muito
    volta e fala do que gostas só 😛

  7. Responder

    Buzz

    Novembro 5, 2013

    Gostei bastante do que escreveste! Vivam os recomeços!

  8. Responder

    Ju Figueiredo Silva

    Novembro 5, 2013

    Um aplauso! Concordo com tudo aquilo que escreveste e apesar de nunca ter deixado de gostar do teu blog, concordo que nos últimos tempos estava diferente daquilo que eu conheci. Tal como disseste há blogs específicos, de temas específicos que são maravilhosos e verdadeiras inspirações, no entanto adoro blogs pessoais que tenham algo da pessoa, que nos deixem conhecer a pessoa por trás disto tudo! E o teu é um desses blogs 🙂 *

  9. Responder

    Anna Marian

    Novembro 5, 2013

    Sabes que a rotina do nosso dia-a-dia também leva a isso, causa em nós uma sensação de monotonia. Pelo que acabamos por ficar sem saber o que escrever, o que expressar. É normal a meu ver, eu passei pelo mesmo, estou a passar pelo mesmo. E sinceramente? Optei que escrevo quando assim desejar. Não há limites ou regras. Welcome back 🙂

  10. Responder

    Vanessa

    Novembro 8, 2013

    Sabes que já falámos várias vezes deste assunto e também já sabes que estou de acordo com o que dizes. Não notei que alterasses a tua forma de escrever, mas isso só tu própria podes notar. Mantém o teu "eu", que vale bem mais do que campanhas e produtos grátis 🙂

LEAVE A COMMENT