O alter ego pedrado

Olá.

Quem vos escreve não sou eu, mas sim o alter ego pedrado que se tem apoderado de mim nos últimos dois dias e só quer dormir, ou dormir ou até dormir.

Esta situação deve-se ao facto de na quarta-feira à noite a minha pessoa ter ido para o Hospital com todo a aparato possivel e passar 4 horas num momento bem “Twilight”.

E porque é que fui para o Hospital?? Será porque estou doente?

Óbvio que não!

Todos sabem que é pelas maravilhosas injecções que costumam dar e que me deixam em estado “Happy Hour”.

Enfim o que realmente interessa não é o motivo que me levou ao Hospital, mas sim o belo antibiótico que a “Sô Dotora” me passou e que me deixa em constaste estado de lanzeira, e tendo que tomar aquilo duas vezes por dia estão a imaginar a valente pedrada com que ando.

E sim tenho sono, tenho muito sono e por isso conduzo a 50 a hora na auto-estrada, para não me despistar ou ir contra um muro qualquer porque resolvi dizer olá ao João Pestana. Ou então sou mandada parar pela Policia por consumo de estupefacientes e seria um momento bonito:

– Bom dia menina os seus documentos

– Aqui tem senhor guarda

– Menina isto é o cartão multibanco…pedi-lhe os documentos

– PLIMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM (cabeça de Vânia em cima da buzina do carro, ao acabar de adormecer)

E perguntam vocês porque conduzo eu, neste estado de moca? Porque tenho de trabalhar, para dar de comer aos meus 7 filhos e ao marido alcoólico que tenho em casa, que me bate se não tiver pão em casa e uma mini na mesa….ou várias….

Sugestão
Palermices de Infância

E foi nesta minha jornada, que hoje de manhã, depois de realmente ter passado pela policia, estou quase a chegar ao sagrado local de trabalho, e o meu mundo para ao ver uma senhora parada dentro do carro, abrir a porta e derramar para o chão kilos de papel, ora para quem me conhece sabe que eu sou completamente obcecada por reciclagem e contra todo o tipo de lixo no chão e pelos vistos o meu alter ego também é.

Parei o meu automóvel topo de gama ao lado do chaço velho da senhora e disse:

“Lixo para o chão ham…sabe que ali mesmo à sua frente tem um caixote, não custa nada e não dói”

Momento de silêncio e quando a mulher fala é cigana e começa a falar em “lelo” qualquer coisa como:

“Eu faço o que quiser, isto é público”

Ao qual eu respondo:

” Publico? Eu não gosto de viver em lixeiras, se você gosta é consigo”

A mulher lá disse mais algumas coisas que não percebi, e eu e a minha máquina seguimos viagem, mas reparei pelo espelho que ela apanhou o lixo do chão! MISSÃO CONSEGUIDA.

E vim a pensar muito orgulhosa: Consegui educar uma cigana.

Até que me vi ao espelho e vi o meu aspecto de pedrada e percebi que a cigana deve ter tido medo que eu lhe fosse dar uma facada, ou assalta-la e que aquilo do lixo era apenas uma desculpa para eu a distrair enquanto o meu gang lhe entrava pelo carro, roubava-lhe todos os pertences e a deixava nua no meio de São Domingos de Rana.

No entanto não me chateia…é um bom lema…”PROTEJA O AMBIENTE…MESMO QUE TENHA QUE SODOMIZAR UMA CIGANA”

Mas não se confundam…eu cá só me faço valer dos medicamentos que os médicos me dão…qualquer coisa a culpa é deles!

Novembro 12, 2010

RELATED POSTS

1 Comment

  1. Responder

    Mél

    Novembro 16, 2010

    lol Pois, axo que a cigana teve foi medo de ti. Não me parece que tenhas conseguido educa-la, a não ser temporáriamente, tipo 1 dia. eheh

LEAVE A COMMENT

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.